21:13 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 140
    Nos siga no

    Pesquisadores não sabem exatamente para qual finalidade estes espaços eram usados, mas acreditam que podem ter servido para armazenar alimentos, assim como ser residência ou refúgio de segurança.

    Arqueólogos descobriram o complexo de dois mil anos, que tem três cômodos perto do Muro das Lamentações, na Cidade Antiga de Jerusalém.

    Acredita-se que o complexo subterrâneo milenar foi esculpido antes do cerco, conquista e destruição de Jerusalém pelo Império Romano no ano 70 d.C., sugerem arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA, na sigla em inglês) devido à sua natureza incomum.

    "Esta é uma descoberta única [...]. É preciso entender que há dois mil anos em Jerusalém, como hoje, era costume construir com pedras. A questão é por que estes esforços e recursos foram investidos em esculpir quartos subterrâneos em pedras duras?", indagaram em um comunicado de imprensa nesta terça-feira (19) os arqueólogos envolvidos Monnickendam-Givon e Tehila Sadiel.

    Os arqueólogos informam que a estrutura subterrânea incomum, conectada por escadas, foi descoberta debaixo de uma grande estrutura do período Bizantino, que foi erguida há 1.400 anos e agora serve como entrada para túneis do Muro das Lamentações.

    Arquéologo Barak Monnickendam-Givon em sistema subterrâneo
    © Foto / SHAI HALEVI / ISRAEL ANTIQUITIES AUTHORITY
    Arquéologo Barak Monnickendam-Givon em sistema subterrâneo

    Além de alguns trabalhos esculpidos em blocos de pedra decorativos, arqueólogos encontram objetos domésticos, incluindo recipientes de argila, mapas, uma caneca de pedra, e uma grande bacia que tinha como finalidade armazenar água, possivelmente usada em rituais judaicos espirituais antigos.

    As paredes dos quartos também possuem áreas esculpidas, que serviam como espaços para armazenar e colocar lanternas.

    Monnickendam-Givon acredita que os quartos subterrâneos eram parte de uma grande estrutura, que se perdeu ao longo da história. As escavações ainda "são um trabalho em progresso", segundo o arqueólogo.

    Após cinco meses do cerco histórico da cidade no ano 70 d.C., os romanos capturaram Jerusalém, destruindo o Segundo Templo de Salomão, sem deixar de queimar e saquear o restante da Cidade Antiga.

    Mais:

    Arqueólogos descobrem na França antiga necrópole repleta de artefatos valiosos (FOTOS)
    Arqueólogo descobre 27 sítios maias de 3.000 anos graças a mapa on-line gratuito (FOTOS)
    'Descoberta do século': arqueólogos desenterram no Japão muralha de castelo do século XVI (FOTOS)
    Tags:
    Jerusalém, Israel, arqueologia, Império Romano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar