11:25 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1171
    Nos siga no

    Durante restauração de uma igreja na Polônia, foi encontrada uma cápsula do tempo datada de 1797, tornando-a a mais antiga a ser descoberta na Europa e quase igualando a mais antiga do mundo.

    Restauradores de uma antiga igreja evangélica na pequena cidade polonesa de Ziebice, na Baixa Silésia, descobriram uma lata de cobre selada perto de livros e papéis do século XVIII.

    Achado sensacional

    O sensacional achado foi feito quando o pináculo de sete metros da igreja foi desmontado e o pequeno globo que fica em cima da cúpula da estrutura aberto, segundo informa o jornal polonês The First News.

    O globo tinha vários buracos de bala, provavelmente efetuados por soldados do Exército Vermelho soviético quando avançavam pela região, em 1945.

    Em um ambiente pleno de entusiasmo e excitação, autoridades e historiadores locais se reuniram em 12 de maio na prefeitura para abrir a vetusta cápsula do tempo.

    O conteúdo superou suas expectativas. Datas nos documentos confirmaram que a cápsula do tempo foi colocada nas partes superiores da igreja quando esta foi construída em 1797.

    Esse fato faz dela a cápsula do tempo mais antiga já encontrada na Europa e quase iguala a mas antiga do mundo, que data de 1795, e foi encontrada em Boston (EUA).

    "Tudo indica que pode ser uma das cápsulas do tempo mais antigas a ser encontradas no mundo", afirmou o prefeito de Ziebice, Mariusz Szpilarewicz.

    Conteúdo surpreendente

    Surpreendentemente, os papéis de cor branca ou creme estavam em perfeitas condições, tendo passado praticamente incólumes pelos séculos.

    O vice-prefeito de Ziebice, Malgorzata Wolczyk, enumerou ao The First News o rol do conteúdo:

    "Foram encontrados documentos relacionados à construção da igreja; bem como os nomes das pessoas envolvidas na edificação, provavelmente doadores."

    Um dos documentos é uma charmosa nota pessoal de duas mulheres que doaram dinheiro para a construção da igreja.

    Os documentos estavam escritos em alemão, pois a cidade se chamava Munsterberg em 1797 e fazia parte do Reino da Prússia naquela época.

    Ao lado da lata, foram encontrados documentos e fotografias de 1902 e 1903. Estes estavam severamente danificados e provavelmente datam de quando a igreja foi renovada.

    É provável que a lata original tenha sido descoberta e que os chefes da igreja local tenham acrescentado lembranças de seu próprio tempo, que incluem um jornal Munsterberger Zeitung datado de 20 de agosto de 1902 e livros evangélicos de oração.

    As moedas na lata provavelmente foram adicionadas para ajudar as gerações posteriores a datar a cápsula no caso de os papéis serem destruídos.

    Objetivo e destino da cápsula

    "Essas pessoas quiseram nos dizer: nós estivemos aqui, nós colocamos nosso coração e vida nisto, e agora assumam e cuidem do que deixamos", afirmou Marek Kowlaski, do Escritório de Conservação do Patrimônio da Baixa Silésia.

    A igreja na qual a cápsula foi encontrada foi construída em 1797 no local de um castelo edificado no século XV. Ela permaneceu aberta ao culto até a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, foi usada como escola e hoje é utilizada como pavilhão de esportes.

    O vice-prefeito Malgorzata Wolczyk informou que o conteúdo da lata necessita passar por um trabalho de conservação, para posteriormente ser doada a um museu local para ser exposta ao público.

    Segundo o jornal, foram feitas sugestões para que cópias dos documentos sejam colocadas em uma nova cápsula e posicionadas no prédio da igreja para que alguém possa vir de novo a encontrá-los daqui a uns cem anos.

    Mais:

    Descobertas 10.000 relíquias de ouro da dinastia Ming na China (FOTOS)
    Descoberta revela segredos de 10.000 anos no México (FOTOS)
    Cientistas teriam descoberto lugares mais protegidos de radiação para astronautas em Marte (FOTO)
    Tags:
    arqueologia, igreja, cápsula do tempo, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar