03:00 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    180
    Nos siga no

    Arqueólogos iniciaram uma ambiciosa pesquisa arqueológica no observatório astronômico de Pommelte, na Alemanha, da Idade Bronze, acreditando poder ofuscar em importância o britânico Stonehenge.

    Segundo um artigo publicado no portal Ancient Origins, um sítio arqueológico alemão de mais de 4.000 anos, da Idade do Bronze Inicial, perto da cidade de Pommelte, poderia ser mais rico historicamente que a famosa estrutura de Stonehenge, no Reino Unido.

    Refere-se no artigo que uma equipe formada por arqueólogos do Escritório de Conservação de Monumentos e Arqueologia da Alemanha e por arqueólogos da Universidade alemã de Halle iniciou escavações no antigo sítio arqueológico.

    A próxima escavação está planejada para o meio deste ano, com a colaboração de estudantes britânicos da Universidade de Southampton, mas tudo dependerá das restrições relativas à pandemia do novo coronavírus.

    Centro agrorritualista

    Pommelte se situa na Saxônia e durante a Idade do Bronze, por volta do final do terceiro milênio a.C., um enorme observatório astronômico de madeira funcionava de forma semelhante ao de Stonehenge no Reino Unido, tese aliás já anteriormente adiantada pelo arqueólogo britânico Timothy Darvill da Universidade de Bournemouth, refere o artigo.

    ​Santuário de Pommelte pode eclipsar Stonehenge

    Datação por radiocarbono efetuada pelos cientistas deste observatório, situado em um ambiente agrícola próspero da época, permitiu determinar que foi utilizado pela cultura Unetice entre 2300 e 1600 a.C.

    Franziska Knoll, arqueóloga do Instituto de História da Arte e Arqueologia da Universidade de Halle, citada pelo portal, afirmou que a presente escavação, iniciada em abril, cobrirá uma área de cerca de 29.000 metros quadrados, tendo já sido encontradas 37 antigas casas comunais e que mais serão detectadas sob os antigos pilares de madeira do observatório.

    Sacerdotes-astrônomos

    Os trabalhos arqueológicos visam obter mais dados sobre o ambiente social e religioso da Idade do Bronze Inicial e da cultura Unetice, cujos sacerdotes-astrônomos desenharam, criaram e utilizaram o famoso Disco de Nebra, a mais antiga representação objetiva do firmamento, com símbolos do Sol, da Lua e das estrelas.

    ​Quem viveu em Pommelte, o Stonehenge alemão?

    O povoado de Pommelte foi construído no final da Idade Neolítica e ampliado na Idade do Bronze Inicial. As mais antigas fundações das casas comunais encontradas estão associadas à cultura do campanário (cerca de 2500-2050 a.C.), surgida no final da Era Neolítica.

    Para Franziska Knoll, citada pelo portal, este fato bem como as cerâmicas descobertas dentro delas mostram como a cultura Unetice se desenvolveu a partir da cultura do campanário.

    Ajuda britânica

    Os arqueólogos alemães contam com a ajuda de colegas britânicos com larga experiência neste tipo de arqueologia, tendo sido constatado que os observatórios astronômicos tanto em Stonehenge quanto em Pommelte foram construídos perto de rios.

    Segundo Franziska Knoll, tal fato é bem demonstrativo da importância dos cursos d'água na Idade do Bronze, para transportar alimentos, ferramentas, animais e pessoas.

    Os trabalhos de campo incluirão igualmente o estudo de um antigo fosso circular localizado a cerca de um quilômetro do santuário circular, bem como um complexo de túmulos de 6.000 anos da chamada cultura Baalberge. Franziska Knoll não duvida que as escavações em Pommelte ofuscarão Stonehenge.

    Mais:

    Arqueólogos acham no Egito 83 tumbas repletas de sarcófagos e peças de barro (FOTOS)
    Arqueólogos descobrem origens do antigo 'jogo de tabuleiro da morte' egípcio (FOTO)
    FOTOS raríssimas de Stonehenge mostram visitas ao local mais de 100 anos atrás
    Tags:
    astrônomo, Stonehenge, Reino Unido, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar