15:50 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)
    230
    Nos siga no

    Os prognósticos do clima serão menos precisos durante a pandemia do coronavírus, já que meteorologistas do mundo inteiro têm a seu dispor menos dados sobre o estado da atmosfera.

    Roman Vilfand, diretor do Centro Meteorológico da Rússia, salientou que a maioria dos voos permanecem suspensos, portanto, os dados fornecidos por aviões são escassos.

    "Claramente, isto repercutirá na qualidade dos prognósticos, ainda que eu espere que o dano não seja decisivo. Atualmente é difícil determinar, é necessário passar um tempo", disse o diretor do centro meteorológico.

    A Transmissão de Dados Meteorológicos de Aviões (AMDAR, na sigla em inglês) é um sistema que utiliza sensores, computadores e outros equipamentos existentes a bordo para coletar, processar e transmitir dados meteorológicos a estações terrestres.

    Vilfand precisou que os aviões russos não contavam com ditos equipamentos, que permitem medir durante o voo a temperatura, a pressão atmosférica, a umidade e a velocidade do vento.

    "Para os meteorologistas, o fato de que haja menos aviões tem um grande efeito negativo", disse, agregando que os especialistas russos também utilizam nos prognósticos os dados recolhidos por aviões de outros países.

    Segundo o especialista russo, o diretor da Subdivisão do Sistema Terrestre da Organização Meteorológica Mundial, Lars Peter Riishojgaard, também alertou sobre o problema.

    Tema:
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)

    Mais:

    Coreia do Sul investiga 'reativação' do coronavírus em pacientes antes considerados curados
    Coronavírus: BID diz que América Latina deve tomar medidas econômicas 'não convencionais'
    Estados Unidos atingem pico da disseminação do coronavírus, diz Trump
    Tags:
    avião, clima, Rússia, Meteorologia, pandemia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar