07:00 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    150
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade de Copenhague da Dinamarca e do Centro Nacional de Pesquisa sobre a Evolução Humana (CENIEH) da Espanha recuperaram a evidência genética de um fóssil humano de 800 mil anos.

    A recuperação ocorreu graças às análises de um dente pertencente a espécie Homo antecessor descoberto em um depósito da serra de Atapuerca, na província espanhola de Burgos.

    A descoberta representa o conjunto de dados genéticos humanos mais antigos obtidos até o momento, lançando uma nova luz sobre a ramificação da árvore genealógica humana.

    ​Parabéns a todas as instituições envolvidas nesse espetacular estudo sobre o Homo antecessor!

    "Nossos resultados reforçam a ideia de que o Homo antecessor era um grupo irmão do daquele composto pelos Homo sapiens, pelos neandertais e pelos hominídeos de Denisova", afirmou o autor principal do estudo, Frido Welker.

    ​Parabéns a todos que fizeram este trabalho espetacular sobre o Homo antecessor!

    Os especialistas utilizaram uma técnica chamada espectrometria de massas, que permitiu sequenciar proteínas antigas do esmalte dos dentes e recuperar a evidência molecular, reconstruindo com precisão a evolução do homem, segundo comunicado do CENIEH.

    "É emocionante ser pioneiros na aplicação de um campo tão inovador como o da paleoproteômica ao registro fóssil humano. Os próximos anos serão repletos de surpresas científicas", adicionou a pesquisadora Maria Martinón.

    Até o momento, o material genético humano mais antigo tinha aproximadamente 400 mil anos.

    Mais:

    Revelado animal que emigrou da África junto com humanos pré-históricos
    Mergulhadores natos? Estudo traz habilidade de neandertais nunca antes imaginada (FOTO)
    Encontro sexual mais antigo entre espécies humanas extintas é descoberto
    Tags:
    homo sapiens, cientistas, dentes, genética, estudos, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar