19:22 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Talvez, hoje em dia, procurar aranhas não está no topo das prioridades da humanidade, mas, graças a cientistas amadores e aracnólogos australianos, foram descobertas sete novas espécies de aranhas-pavão (Maratus volans).

    Uma das aranhas até tem semelhanças extraordinárias com a famosa obra de Vincent van Gogh, "A Noite Estrelada".

    ​Conheça as mais novas sete espécies da Austrália! No ano passado, eu viajei pelo país coletando espécimes destas novas aranhas-pavão (alguns foram descobertos por cidadãos cientistas) e eu passei horas sem fim estudando-os no laboratório. O estudo foi publicado hoje!

    O aracnólogo Joseph Schubert, do Museu de Melbourne, no seu artigo publicado no jornal científico Zootaxa na sexta-feira (27), descreve as novas espécies, incluindo a Maratus constellatus, batizada em homenagem à famosa obra de arte.

    "Os padrões no abdômen [da aranha] para mim parecem muito com a obra 'A Noite Estrelada' de Vincent van Gogh. Daí vem o nome constellatus, que significa estrelado em latim", explica o cientista no vídeo.

    ​Aqui está Maratus constellatus, uma espécie de aranha-pavão da Austrália Ocidental, que se parece com "A Noite Estrelada".

    É curioso que no estudo de Joseph Schubert, algumas das novas aranhas-pavão foram descobertas por cidadãos aficionados que tiraram fotografias e documentaram a localização das novas espécies, escreve portal Cnet.

    Enquanto à primeira vista as aranhas desta espécie podem se assemelhar a aranhas marrons comuns, sob uma lente macro ou microscópica, elas mostram uma impressionante variedade de cores, incluindo vermelho vibrante, roxo e verde.

    Mais:

    Aranha 'extraterreste' menor do que um polegar atrai atenção da Internet
    Veneno de aranha originária do Brasil poderia ajudar no tratamento de disfunção erétil
    Tags:
    descoberta, insetos, Vincent van Gogh, Austrália, aranhas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar