00:29 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Cientistas britânicos estão fazendo progresso no rastreamento de meteoros que entram na atmosfera terrestre depois de uma rede de câmeras capturar com sucesso sua primeira bola de fogo.

    A UK Fireball Network, liderada por pesquisadores da Universidade de Glasgow e Colégio Imperial de Londres, celebrou seu momento marcante no dia 16 de fevereiro, quando as câmeras estacionárias nas cidades de Lincoln e Cambridge avistaram um meteoro, que pouco depois se desfez e lançou meteoritos no mar do Norte.

    "Os meteoritos fornecem percepções valiosas sobre outros planetas e nosso Sistema Solar [...] Grande parte do que sabemos sobre a superfície de Marte, por exemplo, é graças às análises de pedaços do planeta que foram tirados de sua superfície por impactos de asteroides de milhões de anos atrás e flutuaram no espaço antes de seguir em direção à Terra", comunicou o professor da Universidade de Glasgow, Luke Daly.

    Apesar da dificuldade de encontrar os materiais que caíram no mar, os cientistas pretendem utilizar as câmeras para rastrear com precisão as trajetórias dos próximos meteoros e meteoritos.

    "Foi algo muito emocionante capturar nossas primeiras imagens de um meteoro através de dois de nossos observatórios, embora tenha sido decepcionante ter perdido o material no mar. Quando avistarmos sinais dos meteoritos caindo da bola de fogo, nós precisaremos de voluntários para ajudar a vasculhar a área para encontrá-los", afirmou Daly.

    ​Bom dia, mundo! Toda nossa paciência foi retribuída! Na noite passada, nós avistamos a partir de nossos dois observatórios, Lincoln e Cambridge, o primeiro meteorito caindo da bola de fogo. Assim poderíamos triangular isso!

    Agora, o observatório pretende instalar pelo menos 10 câmeras por todo o Reino Unido. Até o momento, há seis câmeras instaladas no Reino Unido, Escócia e País de Gales.

    "Capturar imagens em mais de uma câmera nos permite estimar não apenas o local de pouso, mas calcular a trajetória de sua chegada e origem. Reunir todos os nossos recursos eleva as chances de capturar esses eventos elusivos", ressaltou.

    Mais:

    Encontrados 'bigodes de gato' de ferro cobrindo amostras do asteroide Itokawa (FOTO)
    Dois asteroides velozes cruzarão trajetória da Terra na segunda-feira, alerta NASA
    NASA encontra novo buraco negro sem querer ao espiar asteroide Bennu (FOTO)
    Tags:
    cientistas, estudo, meteorito, meteoros, meteoro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar