21:44 09 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    180
    Nos siga no

    A descoberta histórica do esqueleto de um neandertal de 70.000 anos de idade no Iraque reacendeu um debate sobre se esses antigos humanos eram suficientemente "sofisticados" para prepararem funerais.

    Os ossos foram desenterrados na caverna Shanidar, localizada no Curdistão iraquiano, onde os restos parciais de 10 homens, mulheres e crianças neandertais foram encontrados durante as escavações realizadas na década de 1950.

    Nos últimos 20 anos, esse é o primeiro esqueleto articulado (ossos dispostos na posição original) de neandertal encontrado. Essa descoberta, publicada na revista Antiquity, proporciona uma oportunidade inigualável para investigar as "práticas funerárias" dessa espécie humana perdida, usando tecnologia de ponta.

    "Ter evidências primárias com tanta qualidade deste famoso local de neandertais nos permitirá usar tecnologias modernas para explorar tudo, desde o DNA antigo até questões de longa data sobre as formas de morte do neandertal, e se elas eram semelhantes às nossas", disse Emma Pomeroy, do Departamento de Arqueologia de Cambridge (Reino Unido), principal autora do novo artigo.

    Crânio de neanderal na caverna Shanidar, no Curdistão iraquiano
    Crânio de neanderal na caverna Shanidar, no Curdistão iraquiano

    A descoberta foi nomeada Shanidar Z e tem mais de 70 mil anos, segundo as análises. Enquanto o gênero ainda não foi determinado, dados já mostram que o exemplar tem dentes de um adulto de meia idade.

    Ossos da mão esquerda de neandertal descoberto na caverna Shanidar, no Curdistão iraquiano
    Ossos da mão esquerda de neandertal descoberto na caverna Shanidar, no Curdistão iraquiano

    Os pesquisadores dizem que há fortes evidências iniciais de que um dos esqueletos de Shanidar foi supostamente enterrado com flores no túmulo, pois estava cercado por aglomerados de pólen, sugerindo a ideia de um ritual funerário.

    Caverna Shanidar, situada no Curdistão iraquiano
    Caverna Shanidar, situada no Curdistão iraquiano

    "Nos últimos anos temos visto evidências crescentes de que os neandertais eram mais sofisticados do que se pensava anteriormente, desde marcas nas cavernas até o uso de conchas decorativas e garras. Se eles estavam usando a caverna Shanidar como um local de memória para enterros rituais repetidos, isso sugeriria uma complexidade cultural de alta ordem", acrescentou Pomeroy.

    Mais:

    'Último colar dos homens de Neandertal' é encontrado na Espanha (FOTO)
    Seis descobertas da última década que mudaram a ciência para sempre
    Misterioso crânio encontrado na Grécia pode dar reviravolta à história da humanidade (FOTOS)
    Tags:
    esqueleto, Curdistão iraquiano, ritual, funeral, neanderthal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar