19:53 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    3252
    Nos siga no

    Cientistas do Instituto Químico da Sociedade Max Planck da Alemanha detectaram uma "bomba" climática gigante que emite em quantidades enormes gases de efeito estufa.

    O portal científico Science Alert, citando uma pesquisa de cientistas do Instituto Químico da Sociedade Max Planck, Alemanha, informou que hidrocarbonetos que estão subindo do fundo do mar Vermelho poluem atmosfera a uma velocidade equivalente às emissões de alguns países exportadores de combustível fóssil.

    Pesquisadores descobriram que os níveis de propano e etano no ar sobre a zona norte do mar Vermelho são 40 vezes superiores ao previsto.

    A análise de várias fontes de gases de efeito estufa, inclusive transporte, agricultura, queimada de biomassa e produção da energia elétrica de hidrocarbonetos, trouxe um resultado inesperado.

    Os dois gases, propano e etano, se infiltram através do fundo do mar de reservas naturais de petróleo e gás. Entrando na superfície, se misturam com outro gás de efeito estufa – óxido nitroso, produzido por navios em grandes quantidades. Como resultado, formam conexões extremamente nocivas para saúde humana.

    "Fiquei surpreso com os resultados […] Nós passamos quase dois anos trabalhando com esse conjunto de dados para comprovar confidentemente que as emissões provem de cerca de dois quilômetros abaixo da superfície do mar", declarou o autor da pesquisa, Efstratios Boursoukidis.

    O nível de emissão é comparado aos níveis de emissões de países como Arábia Saudita ou Kuwait. Cientistas preveem que no futuro o aumento do tráfego de navios na região levará à deterioração significativa da qualidade do ar.

    Mais:

    Descoberto novo tipo de aurora boreal com 'dunas' no céu noturno (FOTO)
    Chance de desastre ecológico? Exposto armazenamento indevido de resíduos nucleares nos EUA
    Gelo polar no planeta vermelho desperta interesse da comunidade científica
    Tags:
    emissões, clima, gases de efeito estufa, efeito estufa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar