10:02 22 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1 0 0
    Nos siga no

    Uma rocha espacial se chocou com a Terra em 1969, terminando uma jornada que durou bilhões de anos; o meteorito Allende carrega características que poderiam revelar muitos mistérios.

    Um novo estudo, liderado pela Universidade Washington em St. Louis, nos Estados Unidos, identificou uma evidência de que um material interestelar, anterior ao nosso Sistema Solar, estava presente no meteorito Allende. Em 27 de janeiro, a descoberta foi publicada no portal Nature Astronomy.

    Estes traços, chamados de grãos pré-solares, são um raro achado, mas o que torna tão revelador este estudo é onde foram encontrados, além de possuírem um formato que pesquisadores não acreditavam ser possível.

    Neste caso, os grãos identificados eram compostos por carboneto de silício (SiC), incorporados dentro de uma inserção do meteorito, nomeada Curious Marie, revolucionando o conhecimento que se tinha até então de materiais interestelares desta natureza.

    "Seguindo nosso atual conhecimento da formação do Sistema Solar, grãos pré-solares poderiam não sobreviver ao ambiente onde estas inclusões são formadas", salienta Olga Pravdivstseva, pesquisadora de física da Arts & Sciences.

    Anteriormente, o meteorito Allende passou por vários estudos científicos, mas até então grãos pré-solares não teriam sido encontrados.

    "O fato de que SiC está presente em inserções e não foi completamente destruído na Curious Marie pode ajudar a compreender mais este ambiente", afirma Pravdivtseva. "Esta descoberta nos obriga a rever como vemos as condições inicias da nébula solar."

    Mais:

    Determinada finalmente idade da cratera de meteorito mais antiga do mundo
    'Grande lacuna' é o quê e por que existe no Sistema Solar? Cientistas respondem
    Afinal, existe planeta B? Novo satélite promete facilitar estudos fora do Sistema Solar
    Tags:
    meteorito, Sistema Solar, ciência
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar