08:35 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    162
    Nos siga no

    Tribunal condena pesquisador chinês que provocou um polêmico escândalo científico em 2018.

    Um tribunal chinês condenou na segunda-feira (30) a três anos de prisão o cientista chinês que alterou os genes de dois gêmeos para criar os primeiros bebês geneticamente modificados, relatou a agência oficial Nova China.

    O pesquisador He Jiankui anunciou em novembro de 2018 ter conseguido tornar os genes de dois gêmeos mais resistentes ao vírus da AIDS, com o qual o seu pai estava infectado. O Governo chinês, acusado na época de permitir esse experimento, ordenou a suspensão da pesquisa e colocou o pesquisador sob investigação policial.

    Ele foi condenado por um tribunal de Shenzhen, a metrópole do sul do país onde foram realizadas as pesquisas, por "ter ilegalmente procedido à manipulação genética de embriões com fim de reprodução", precisou a agência oficial.

    A agência chinesa, citada pela AFP, acrescentou que um total de três bebês geneticamente modificados nasceram fruto destes experimentos.

    As autoridades chinesas tinham confirmado em janeiro de 2019 que uma segunda mulher estava grávida de um filho com DNA modificado, além dos dois gêmeos, mas o nascimento desse bebê não tinha sido confirmado.                                                                       

    Mais:

    Arqueólogos encontram o mais antigo DNA de vikings em... 'chiclete' (FOTO)
    No DNA humano da Idade do Bronze foi encontrado vírus mortal
    Pesquisadores brasileiros colaboram para a compreensão científica da ‘Partícula de Deus’
    Tags:
    genes, DNA, ciência, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar