22:10 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Astronautas da NASA, Cady Coleman e Ricky Arnold, entrando na nave espacial Orion

    Engenheiro da NASA apresenta conceito de nave espacial que voaria quase à velocidade da luz

    © NASA. Bill Stafford
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    5102
    Nos siga no

    Uma nave espacial capaz de viajar para estrelas remotas à velocidade da luz é possível, disse o engenheiro da NASA David Burns ao apresentar seu conceito de motor helicoidal (Helical Engine), que não requer combustível para gerar empuxo, informa o portal Science Alert.

    A controversa ideia de Burns é baseada na exploração da forma como a massa pode mudar em "velocidades relativistas", ou seja, aquelas que se aproximam da velocidade da luz no vácuo. No entanto, esta possibilidade ainda não foi considerada pelos especialistas. Além disso, o seu conceito viola as leis da física tal como as conhecemos.

    "Sinto-me à vontade para o propor", disse Burns à revista New Scientist. "Se alguém disser que não funciona, serei o primeiro a dizer que valeu a pena tentar."

    Para explicar o princípio do motor hipotético, Burns descreveu uma caixa com uma carga no interior, mas sem atrito com a superfície. As extremidades da carga são conectadas por molas que a conectam às paredes da caixa. O efeito é que, no vácuo, a caixa oscilará, enquanto a carga permanecerá imóvel. Se a massa da carga aumentar repentinamente durante as oscilações, isso provocará um empuxo.

    "Motor helicoidal" de engenheiro da NASA pode violar as leis da física

    De acordo com a relatividade especial, os objetos ganham massa à medida que se aproximam da velocidade da luz. Assim, se você substituir o peso com íons e a caixa com um laço, em teoria você pode fazer com que os íons se movam mais rápido em uma extremidade do laço e mais devagar na outra.

    Mas o "motor de Burns" não é um único circuito fechado. É helicoidal, como uma mola esticada, daí surgindo seu nome de "motor helicoidal".

    Nessas situações, os íons são a carga e a caixa é o circuito em que as partículas se movem. Os íons aceleram a velocidades relativistas moderadas, após o que a sua massa começa a mudar ligeiramente. Eles se movem para frente e para trás ao longo do contorno, criando empuxo em uma determinada direção.

    No caso de um motor helicoidal, a espiral deve atingir cerca de 200 metros de comprimento e 12 metros de diâmetro, segundo os cálculos de Burns. Além disso, serão necessários 165 megawatts de energia para produzir um newton de empuxo.

    No entanto, Burns acredita que sua proposta tem potencial para o futuro em condições de um ambiente de baixa fricção como é o espaço exterior.

    Mais:

    NASA alerta sobre asteroide gigantesco que passará pela Terra na quarta-feira
    Teoria qualifica poeira de asteroide como 'aguçadora' do surgimento de vida na Terra
    Preparados? Chuva de meteoros Oriônidas vai tomar céu do Brasil na semana que vem
    Tags:
    universo, NASA, nave espacial
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar