00:42 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Nuvens sobre cidade (imagem ilustrativa)

    Podem as nuvens desaparecer da Terra? Cientistas dizem que sim

    CC0 / jplenio/Pixabay / Nuvem
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    4112

    Uma recente investigação científica adverte que uma alta concentração de dióxido de carbono na atmosfera da Terra pode fazer as nuvens desaparecerem do céu. Como resultado, o oceano ficará mais vulnerável à luz do Sol.

    De acordo com o grupo de pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia, os estrato-cúmulos — nuvens baixas com massas arredondadas e cilíndricas com o topo e a base relativamente planos — servem para proteger a Terra do calor excessivo. Ou seja, se as nuvens desaparecerem, a temperatura no planeta seria oito graus Celsius mais alta — para já não falar sobre o aumento entre 2 e 4 graus Celsius causado pelo efeito de estufa.

    Essa mudança, por sua vez, levaria a sérios cataclismos e causaria a extinção em massa de animais e plantas.

    Segundo indicam os pesquisadores, a Terra já sofreu um fenômeno similar há 55 milhões de anos: o planeta aqueceu a tal ponto que os crocodilos passaram a nadar nas águas do Ártico, enquanto numerosas espécies de mamíferos não sobreviveram.

    Essa drástica mudança climática ficou conhecida como o Máximo Térmico do Paleoceno-Eoceno. Foi um dos cataclismos climáticos mais significativos da era Cenozoica, que alterou a circulação oceânica e atmosférica, causando uma grande mudança na fauna terrestre.

    Na opinião dos cientistas, o aquecimento poderia ter sido desencadeado por causas diferentes, mas os principais foram a intensa atividade vulcânica e a liberação do metano armazenado nos sedimentos oceânicos.

    Nessa conexão, Kerry Emanuel, especialista em meteorologia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, afirma que o alarmante prognóstico dos pesquisadores da Califórnia parece ser bastante plausível.

    Quanto ao desaparecimento das nuvens, os cientistas também asseguram que é um processo que se deve a vários fatores. No entanto, as estatísticas sobre a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera são realmente alarmantes. Desde 1955, a concentração deste gás cresceu em um terço. Se o processo continuar com a mesma velocidade, a humanidade pode chegar a um ponto sem retorno antes do final do século.

    Entretanto, os especialistas confirmam que a humanidade é capaz de evitar a repetição do cataclismo devastador do Paleoceno-Eoceno se cumprir as condições do Acordo de Paris.

    Mais:

    Erupção de vulcão pré-histórico na Escócia teria contribuído para mudança climática
    Catástrofe climática avança mais rápido do que previsto?
    Catástrofe viria com derretimento de geleiras, diz estudo
    Iminente catástrofe global está mais próxima do que imaginamos?
    Tags:
    atmosfera, nuvens, aquecimento global, mudança climática, Sol, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar