10:44 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    O delta de um rio extinto na cratera Eberswalde, em Marte

    'Árvore da vida'? Encontram evidências de grandes rios em forma de árvore em Marte

    CC BY-SA 3.0 IGO / ESA/Roscosmos/CaSSIS
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    470

    O fluxo de água formou vales de até 2 quilômetros de largura e 200 metros de profundidade, formando uma nova paisagem na superfície de Marte.

    Há bilhões de anos, Marte provavelmente era um lugar muito mais quente e húmido do que o planeta frio, seco e estéril que conhecemos hoje, conforme mostram as imagens de satélite captadas pela sonda Mars Express da Agência Espacial Europeia (ESA).

    Vista de antiga rede fluvial em Marte / ESA
    Vista de antiga rede fluvial em Marte / ESA

    Essas imagens mostram marcas de uma rede de rios secos que em algum período fluíram através da superfície de Marte. Essa rede representa um sistema de vales nas terras altas localizadas no sul de Marte, ao leste da cratera conhecida como Huygens e ao norte de Hellas, a maior bacia de impacto do planeta.

    As terras altas do sul de Marte, com aproximadamente 4 bilhões de anos, são uma das partes mais antigas e que mais crateras possuem no planeta vermelho. Além disso, nelas é possível observar muitos sinais antigos de fluxo de água.

    A topografia da região sugere que a água fluiu do norte ao sul, formando assim vales de até 2 quilômetros de largura e 200 metros de profundidade. Os vales, aparentemente, se estendem de forma significativa, formando um sistema padrão semelhante às ramificações de uma árvore, um tipo de morfologia conhecida como "dendrítica".

    Vista de antiga rede fluvial em Marte / ESA
    Vista de antiga rede fluvial em Marte / ESA

    Estes sistemas são de um tipo que também observamos no sistema de drenagem na Terra como, por exemplo, o sistema do rio Yarlung Tsangpo, que corre a partir do oeste do Tibete através da China, Índia e Bangladesh.

    No caso da ramificação fluvial em Marte, os canais possivelmente teriam sido formados pela escorrência da água da superfície de um rio, que já teria sido forte, combinado com uma grande quantidade de chuva.

    É suposto que o fluxo atravessasse o terreno de Marte forjando novas vias fluviais e modificando a paisagem do planeta vermelho. Contudo, não se sabe sobre a origem da água, apenas que para isso seria necessário um passado mais quente e húmido em Marte, o que intriga os cientistas sobre as possibilidades de o antigo clima ter sido adequado para a vida.

    Mais:

    'Grande área com água' é descoberta em Marte
    Magma aquecendo lago? Pesquisadores teorizam sobre Marte estar vulcanicamente ativo
    2 satélites da NASA se perdem além de Marte por razões desconhecidas
    Tags:
    cientistas, estudo, rede, água, rios, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar