02:42 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Estrelas da Grande Nuvem de Magalhães (imagem referencial)

    'Rio' de 4.000 estrelas fluindo perto do Sol é apresentado em FOTO

    CC BY 2.0 / Hubble ESA / The stars of the Large Magellanic Cloud
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 71

    Desde que se formaram há cerca de um bilhão de anos, as 4.000 estrelas, que formam uma corrente, têm se movido juntas no espaço.

    A descoberta do "rio de estrelas", uma corrente estelar que cobre a maior parte do céu do hemisfério sul, foi feita por um grupo de pesquisadores da Universidade de Viena, na Áustria.

    "A corrente é enorme, e surpreendentemente próxima do Sol", disse João Alves, coautor do estudo, cujos resultados foram publicados na revista Astronomy & Astrophysics.

    Para Stefan Meingast, autor principal do artigo, "a maioria dos aglomerados de estrelas no disco galáctico se dispersam rapidamente após o nascimento, pois não contêm estrelas suficientes para criar um profundo potencial gravitacional; ou, em outras palavras, não têm cola suficiente para mantê-los juntos".

    Dados, recolhidos pelo satélite Gaia da NASA, ajudaram os cientistas a estudar o movimento tridimensional das estrelas e foram imediatamente surpreendidos por um grupo de estrelas previamente desconhecido e não estudado que se movia como uma corrente.

    Exatamente esse conjunto de estrelas mostrou com precisão as características esperadas de um grupo de estrelas nascidas juntas, mas separadas pelo campo gravitacional da Via Láctea.

    "Ao pesquisarmos este grupo particular de estrelas com mais detalhes, sabíamos que tínhamos encontrado o que estávamos procurando: uma estrutura ondulada e contemporânea, que se estende por centenas de parsecs [unidade de distância estelar] através de um terço do céu. Foi muito emocionante fazer parte de uma nova descoberta", disse Verena Furnkranz, coautora do estudo.

    ​Um rio de estrelas próximo; Astronomy & Astrophysics publicou o trabalho de pesquisadores da Universidade de Viena, que encontraram um rio de estrelas, uma corrente estelar em linguagem astronômica, cobrindo a maior parte do sul

    O "rio" pode ajudar os cientistas a estudar a força gravitacional da Via Láctea, medir a massa da galáxia e ajudar na procura de novos exoplanetas devido à sua relativa proximidade com a Terra.

    Mais:

    Sonda chinesa Chang'e 4 e rover lunar 'adormecem' no lado oculto da Lua
    Satélite russo registra fenômenos físicos desconhecidos na atmosfera da Terra
    Onde tempo corre ao contrário: poderíamos algum dia presenciar 'irmão' do Universo?
    FOTO incrível do telescópio Hubble registra profundamente o Universo
    Tags:
    Via Láctea, estrelas, Gaia, NASA, Universo, Sol, Espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar