03:09 11 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    Após muitos anos de trabalho, o esqueleto quase completo do Barrosasuchus neuquenianus, um crocodilo argentino que habitou a Patagônia há 70 milhões de anos, foi finalmente apresentado.

    O fóssil foi encontrado em 2001 na Serra de Barrosa, no centro de Neuquén (Argentina), e o trabalho todo foi realizado por um grupo de pesquisadores do Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica da Argentina (Cocinet).

    A equipe do paleontólogo Rodolfo Coria teve a tarefa de limpar, classificar e estudar o esqueleto, que está praticamente completo.

    "Só nos falta a cauda […] Foi um achado excepcional. É muito raro encontrar esqueletos completos de vertebrados fósseis", explicou Coria ao jornal Clarín, adicionando que até o crânio está inteiro.

    Com 2,5 metros de comprimento, o Barrosasuchus neuquenianus, que viveu durante o período Cretáceo tardio, permitirá que os cientistas conheçam a anatomia do resto dos crocodilos da época e poderão dessa forma a comparar com a dos atuais, cujas características fisiológicas pouco mudaram durante todos estes milhões de anos.

    ​Apresentaram um crocodilo de 2 metros e de 70 milhões de anos. Trata-se do Barrosasuchus neuquenianus, que habitou a cidade argentina de Plaza Huincul

    "É muito parecido com os crocodilos de hoje, pois são animais que têm sido muito conservadores em seus planos corporais, apesar de pertencer a outra família, a Peirosauridae [….] É típica e com uma presença muito boa no período Cretáceo sul-americano", explicou o paleontólogo.

    Mais:

    Esqueleto humano com crânio 'alienígena' é descoberto na Rússia (FOTO, VÍDEO)
    Arqueólogos argentinos encontram esqueleto de mamífero extinto há 8.000 anos (FOTOS)
    Urso de estimação devora caçador, deixando apenas 'restos de esqueleto' na Rússia
    Rituais misteriosos: encontrados esqueleto perfurado e pôneis decapitados no Reino Unido
    Tags:
    esqueleto, pré-histórico, crocodilo, Patagônia, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar