03:20 17 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    Cientistas suecos descobriram que na véspera de Natal e de outras festas o risco de ataques cardíacos aumenta significativamente, indicando até o tempo exato de maior perigo – às 10 da noite de 24 de dezembro, provavelmente devido ao pico da tensão emocional, comunicou ABC News.

    Os pesquisadores examinaram o tempo exato de 283,014 ataques cardíacos, registrados na Suécia desde 1998 até 2013, e descobriram um aumento do risco em 15% na véspera de Natal e um aumento em 12% nas festas juninas, muito populares no norte da Europa.

    Nos estudos anteriores, entre as causas dos ataques cardíacos são indicadas a raiva, ansiedade, tristeza e estresse. Segundo o último estudo, as pessoas maiores de 75 anos e os que têm diabetes e doença arterial coronária são mais vulneráveis aos estímulos de curto prazo.

    "O estresse do feriado, tanto emocional como financeiro, pode levar a picos de norepinefrina e adrenalina, capazes de produzir efeitos prejudiciais no sistema cardiovascular", disse a médica cardiologista Dra. Kaitlyn Ibrahim à agência ABC News.

    Além disso, as pessoas se esforçam demasiadamente no período de festas, atirando neve, dançando e se excedendo com comida e bebidas. Tanto pessoas saudáveis como doentes são atendidas frequentemente pelos serviços de emergência por causa do ritmo cardíaco anormal provocado pelo abuso de comida e álcool.

    Segundo os cientistas, especialmente durante os feriados, é muito importante manter uma alimentação saudável e equilibrada, limitar o uso de álcool, passear ao ar livre e escapar de situações que possam provocar raiva, ansiedade ou estresse.

    Mais:

    Muitas luzes e compaixão, assim é comemorado o Natal pelo mundo afora
    Presente de grego: Bolsas americanas têm queda recorde na véspera de natal
    China teria posto Natal na mira para dar uma chance à 'tradição'?
    Tags:
    ataque cardíaco, risco, perigo, festas, Ano Novo, Natal, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar