03:14 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Imagem de dinossauro

    Descobertas na Inglaterra pegadas de 7 espécies de dinossauros (FOTOS)

    © AFP 2019 / Arno Burgi
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O desmoronamento de rochas de arenito, provocado por tempestade no litoral da Inglaterra, revelou pegadas de sete espécies distintas de dinossauros contemporâneos que compartilharam o mesmo habitat.

    Pegadas de dinossauros do período Cretáceo foram descobertas perto da cidade inglesa de Hastings, incluindo uma espécie de Stegosaurus, o Anquilossauro e predadores terópodes.

    Pegadas de dinossauros encontradas na Inglaterra
    Pegadas de dinossauros encontradas na Inglaterra

    No total, 85 rastros pertencentes a sete espécies que viveram entre 100 e 145 milhões de anos atrás foram identificadas de 2014 a 2018, segundo o relatório de cientistas da Universidade de Cambridge, publicado no Science Daily.

    A maioria das pegadas, que varia em tamanho de menos de 2 cm a mais de 60 cm, está tão preservada que apresenta detalhes nítidos da pele, escama e garras, explicam os cientistas. 

    Pegadas de dinossauros pertencem a sete espécies que viveram entre 100 e 145 milhões de anos atrás
    Pegadas de dinossauros pertencem a sete espécies que viveram entre 100 e 145 milhões de anos atrás

    "Uma coleção de vestígios como essa ajuda a preencher algumas das lacunas e revelar quais dinossauros viveram no mesmo lugar ao mesmo tempo", explicou Anthony Shillito, estudante de doutorado da Universidade de Cambridge que liderou o estudo, enfatizando também que essa é a maior descoberta de répteis do período Cretáceo na história da Inglaterra.

    Mais:

    Dinossauro até então desconhecido estava 'se escondendo' em opalas na Austrália
    Dinossauro de pescoço longo mais antigo do mundo é achado 'sem querer' no Brasil (FOTOS)
    Dinossauro ou cobra? Gigantesco réptil desce de montanhas sauditas
    Tags:
    descoberta, dinossauro, Inglaterra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar