06:11 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Luz branca no fim do túnel (imagem referencial)

    Por que vemos uma luz branca no fim do túnel antes de morrer?

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    4112

    Pessoas que estiveram à beira da morte afirmam ter visto uma luz branca brilhante no fim do túnel e encontrado familiares ou animais de estimação queridos. Apesar do tom sobrenatural dessas experiências, a ciência consegue explicar o fenômeno, declararam os cientistas britânicos Neil Dagnall e Ken Drinkwater.

    Experiências próximas à morte são "um acontecimento psicológico profundo com elementos míticos", explicam os especialistas, recordando que pode ser provocado pela imensa dor física ou emocional, mas também depois de sofrer ataques cardíacos ou lesões cerebrais traumáticas.

    Um terço das pessoas, que passaram por isso, assegura ter experimentado sensações comuns como satisfação, separação psíquica do corpo, movimento rápido através de um túnel largo e escuro e até ver uma luz se acender no fim do dito túnel, segundo cientistas.

    Um papel importante pode ser desempenhado pela idade e cultura. Por exemplo, muitos hindus afirmam ter se reunido com deus da morte Yama, enquanto os norte-americanos falam de encontro com Jesus, e crianças descrevem encontro com amigos e professores.

    Em 2009, os neurocientistas Olaf Blanke e Sebastian Dieguez propuseram tipologia de experiências próximas à morte. No primeiro tipo, um trauma na região direita do cérebro resulta em uma sensação alterada de tempo e dá impressão de voo. O segundo tipo, ligado a danos na região esquerda do cérebro, é caracterizado pela comunicação com espíritos e pela percepção de vozes ou música.

    Outro papel importante dos lobos temporais consiste em se envolver no processamento da informação sensorial e da memória, por isso atividade anormal desses lobos pode produzir sensações estranhas.

    Qual é a razão?

    Apesar de haver uma grande quantidade de teorias, é difícil encontrar uma explicação exata, opinam Dagnall e Drinkwater. Eles destacam que pessoas religiosas creem que esses episódios à beira da morte ofereçam evidências de que existe uma vida depois da morte, particularmente, separação do espírito do corpo. Explicações científicas apontam despersonalização que é como se define uma sensação de estar separado do corpo.

    O cientista Carl Sagan sugeriu em 1979 que o estresse da morte produz uma recordação do nascimento, sugerindo que o "túnel" que a gente vê é uma nova imagem do canal de parto.

    No entanto, outros investigadores ligam essas experiências à anoxia cerebral, ou seja, falta de oxigênio no cérebro. Neste sentido, há testemunhos de pilotos aéreos que experimentaram perda de consciência durante acelerações rápidas e descobriram caraterísticas similares às experiências próximas à morte, como a visão do túnel. A falta de oxigênio também pode desencadear convulsões do lobo temporal, causando alucinações.

    Porém, a explicação mais estendida é "a hipótese do cérebro moribundo" que propõe que as experiências próximas à morte são alucinações causadas pela atividade no cérebro à medida que as células começam a morrer. Mas essa teoria não explica uma gama completa de sensações experimentadas durante esses episódios, tais como experiências extracorporais.

    Mais:

    'Fluido de massa negativa preenche todo o Universo', afirma astrofísico
    Pesquisas sobre uso medicinal de derivado da maconha avançam no Brasil
    Como um balão: descoberto exoplaneta inflado com hélio
    Cadáver de 5.000 anos revela mistério do primeiro caso de peste na Europa (FOTO)
    Tags:
    consciência, luz, cérebro, túnel, morte, cientistas, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik