06:56 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Axolote, animal endémico do México e parecido à nova espécie de salamandra recém-descoberta nos EUA

    Encontrado novo anfíbio com 'árvore de Natal' na cabeça (FOTO)

    © Sputnik / Eliana Gilet
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    220

    Moradores locais acreditavam que esse animal era uma enguia. No entanto, ele não tem nada a ver com ela, pois essas criaturas basicamente não são peixes.

    Biólogos americanos identificaram uma nova espécie de salamandra em um réptil que habita apenas três áreas nos estados da Flórida e do Alabama. É a primeira espécie nova do gênero siren descoberta em quase meio século, diz o site da Universidade Estadual de Sul Ross (Texas), cujos cientistas são coautores da descoberta.

    Durante décadas, as informações que circulavam na região sobre a existência desse animal eram puros rumores. Os vizinhos chamavam esses anfíbios de "enguia-leopardo", devido às manchas escuras que cobrem sua pele.

    Apesar de que os cientistas admitirem sua similaridade visual, eles indicam que esse apelido não tem nada a ver com o nicho que ocupa no mundo animal, porque basicamente as criaturas em questão não são peixes.

    Na verdade, se trata de um anfíbio, embora passe praticamente toda sua vida em água doce. Tem muito em comum com o axolote e é especialmente semelhante a ele por ter brânquias em forma de ramos, usadas para respirar. Alguns internautas até mesmo as compararam com uma árvore de Natal.

    ​Esta salamandra respira através de "árvores de Natal" que crescem na sua cabeça

    Ao contrário do seu parente mexicano, ela caracteriza-se por ter duas extremidades dianteiras, mas lhe faltam as traseiras. Esse anfíbio pode crescer até um metro de comprimento: muito mais do que os limites estabelecidos pela natureza para o axolote.

    Ao investigar todos os dados coletados, a equipe decidiu chamá-la de siren reticulada (Siren reticulata, em latim). Suas características foram descritas em detalhe em um artigo publicado na revista PLOS One.

    Geneticamente, é "irmã" de todas as espécies de siren, cujo genoma foi sequenciado. No entanto, seu habitat é muito restrito: mora em vários rios e lagos do extremo noroeste da Flórida e do sul do Alabama. Os biólogos consideram urgente um estudo sobre sua distribuição e ecologia.

    "Não só conseguimos encontrar uma nova espécie tão interessante, como também encontramos outro lembrete que o livro da vida ainda tem muitas páginas por escrever", sublinhou o biólogo Sean Graham.

    A análise genética usada para investigar essa nova espécie, segundo estima, torna muito provável que outras salamandras deste tipo sejam descobertas no futuro.

    Mais:

    Réptil mais misterioso do Jurássico poderia ter tido sangue quente, dizem cientistas
    Geólogo se depara com as mais antigas pegadas de réptil já encontradas no planeta (FOTO)
    Dinossauro ou cobra? Gigantesco réptil desce de montanhas sauditas
    Tags:
    réptil, Natal, árvores, anfíbio, descoberta, Alabama, Flórida, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik