13:55 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Cinturão de Kuiper

    Onde estaria e como seria Planeta X? Confira tudo sobre 'corpo celeste' mais enigmático

    © AFP 2018 / NASA/ESA/A.SCHALLER
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    250

    Com o propósito de denominar um hipotético corpo celeste, que deveria existir além da órbita de Netuno, surgiu o Planeta X no início do século XX.

    Alguns fatos interessantes cercam o planeta X, um desses fatores seria por ele ser um planeta escuro, pois há suspeitas de que em um ponto distante do nosso Sistema Solar haveria um planeta desconhecido e essa hipótese surgiu quando Netuno foi descoberto, já que nesse mesmo momento foi possível observar que a órbita do planeta azul era perturbada pela força gravitacional de outro corpo celeste, ainda mais distante do que Netuno.

    Entretanto, com a descoberta de Plutão, rapidamente foi possível notar que o planeta possui uma força gravitacional como a de um grande planeta, porém, possui um baixo índice de luz refletida, sendo algo como o asfalto da Terra.

    Outra curiosidade é que, em 1978, astrônomos calcularam a massa de Plutão e o resultado foi que ele tinha uma massa 500 vezes menor do que a da Terra, sendo assim, com tal massa não poderia causar perturbações observadas na órbita de Netuno, fazendo com que a busca pelo Planeta X ressurgisse.

    O que significaria a terminologia "X"? Essa é uma das curiosidades que fazem parte do "Planeta além de Netuno", na verdade a terminologia "X" já teve diversos significados, o termo foi introduzido pelo astrônomo Percival Lowell. Com a descoberta de Plutão em 1915, o "X" passou a ser entendido como "10" em referência aos números romanos, sendo uma referência ao hipotético décimo planeta, entretanto, em 2006, Plutão passou a ser considerado planeta e o "X" novamente virou um símbolo de mistério.

    Em 1992, foi comprovada a existência do Cinturão de Kuiper, descoberto pelo astrônomo Gerard Kuiper em 1951. Kuiper foi considerado como o planeta mais distante de todos. Anos depois, foi efetuada mais uma descoberta, mais precisamente, em 2015, quando foi descoberto o corpo 2015 TG387, mais conhecido como "Goblin" ou "Duende". O Goblin foi encontrando nos confins do Sistema Solar, estando mais distante do que Netuno e Cinturão de Kuiper, além disso, ele possui uma larga e comprida órbita.

    Há suspeitas de que o Planeta X possa reter qualquer objeto que o ultrapasse. Essas suspeitas surgiram após o repentino fim do Cinturão de Kuiper a uma distância de 48 unidades astronômicas. Além disso, ele pode ser um planeta congelado por estar muito longe do Sol, sua temperatura na superfície deverá se aproximar do zero absoluto, ou seja, —273 °C, sendo um lugar de poucas possibilidades para a existência de água, atmosfera, reações químicas e, por fim, vida.

    A busca pelo Planeta X continua, entretanto, ela não será tão fácil, já que simulações não são capazes de informar a posição exata do planeta, apenas extensas faixas do céu. Para encontrar o Planeta X seria necessário um telescópio de 8 metros de diâmetro ou maior, pois provavelmente se trata de um planeta muito fraco para ser detectado.

    Até a chegada de novos telescópios capazes de detectar o Planeta X, ele continuará sendo um misterioso planeta no Sistema Solar, que estaria orbitando para além de Netuno.

    Mais:

    'Caçador de planetas' encontra impressionante 'Terra quente' no espaço
    Astrônomos descobrem onde nascem planetas mais quentes do Universo
    Astrônomos supõem que quase todos os 'planetas oceânicos' sejam habitáveis
    Tags:
    curiosidades, descoberta, astrônomo, planeta anão, gravidade, planeta, Sistema Solar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik