19:55 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Imagem ilustrativa da galáxia COSMOS-AzTEC- 1

    'Monstruosa galáxia' de bilhões de anos surge completamente descontrolada (FOTO)

    © Foto: Observatório Astronômico Nacional do Japão
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1255

    Astrônomos de um projeto internacional capturaram a imagem nítida de uma "monstruosa galáxia" que dá origens a novas estrelas mil vezes mais rápido do que a Via Láctea e que, em teoria, deveria ter desaparecido há bilhões de anos, relata um estudo publicado na revista Nature.

    Uma equipe internacional informou que essa formação estelar descontrolada, denominada COSMOS-AzTEC-1, está a cerca de 12,4 bilhões de anos-luz da Terra. 

    As recentes imagens revelam que a AzTEC-1 não é apenas um monstro formador de estrelas, mas também uma galáxia com uma ordem distinta e incomum. 

    Imagens da galáxia COSMOS-AzTEC- 1 tiradas com o telescópio ALMA
    Imagens da galáxia COSMOS-AzTEC- 1 tiradas com o telescópio ALMA

    Além disso, os pesquisadores descobriram que a AzTEC-1 é um disco com três núcleos ou duas nuvens de estrelas distintas e adicionais que orbitam a muitos anos-luz de distância do maior aglomerado existente em seu centro. E, ao contrário da maioria das galáxias modernas, é instável.  

    Por outro lado, segundo os cientistas, o grande peso da galáxia, a partir de sua enorme nuvem de gases, exerce tanta pressão para o interior, sobre o corpo do monstro, que a pressão externa da rotação não pode ser compensada. Assim o colapso gravitacional resultante leva à rápida formação de estrelas. 

    Por enquanto, os cientistas não conseguem explicar a formação dessa grande nuvem de gás.

    Mais:

    Há uma pequena galáxia orbitando Via Láctea e não se sabe ao certo como ela foi parar lá
    NASA mostra FOTO da misteriosa 'irmã' da nossa galáxia
    Nebulosa de Andrômeda poderia 'engolir' nossa galáxia?
    Tags:
    estrelas, descoberta, galáxia, Terra, Via Láctea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik