02:47 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Arqueólogos e trabalhadores são vistos no local dos túmulos de 3.500 anos perto da pirâmide de Saqqara, no Egito, a cerca de 30 km a sul de Cairo, em 6 de junho de 2002 (imagem referencial)

    Queijo contaminado por bactéria mortal é descoberto em tumba egípcia

    © AP Photo / AMR NABIL
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 90

    O queijo mais antigo do mundo, encontrado em uma tumba egípcia de 3,2 mil anos de idade, estava contaminado com uma bactéria que causa uma doença potencialmente mortal.

    Um grupo de pesquisadores descobriu no túmulo egípcio de Ptahmes de 3.200 anos, o que eles acreditam ser o queijo sólido mais antigo já encontrado, segundo o estudo publicado na revista Analytical Chemistry.

    A tumba de Ptahmes, prefeito da antiga capital do Egito — Mênfis, no século XIII a.C., foi descoberta pela primeira vez em 1885 perto da necrópole de Saqqara (também chamada de Sacará) ao norte do país, e redescoberta em 2010. Anos depois, os arqueólogos encontraram vários jarros quebrados na sepultura, um dos quais continha uma massa esbranquiçada solidificada, bem como um pedaço de pano que supostamente servia para cobrir o recipiente ou preservar seu conteúdo.

    Enrico Greco, químico da Universidade de Catania (Itália), junto com seus colegas, decidiu analisar a substância para determinar sua origem. Para fazer isso, dissolveram a amostra, purificaram seus componentes proteicos e os estudaram com cromatografia líquida e espectrometria de massa. Os peptídeos (molécula constituída pela união de aminoácidos) detectados mostraram que a amostra pertencia a um produto lácteo elaborado com leite de vaca e leite de ovelha ou de cabra.

    "O material analisado neste estudo é provavelmente o mais antigo resíduo de queijo sólido arqueológico encontrado até hoje", disse Greco. 

    Outros peptídeos na amostra revelaram que o produto estava contaminado com a bactéria Brucella melitensis, que causa a brucelose — uma doença fatal que se espalha de animais para pessoas, geralmente através de produtos lácteos não pasteurizados. Após a confirmação das conclusões dos pesquisadores, a substância encontrada representaria a mais antiga evidência biomolecular da doença.

    Mais:

    Revelado resultado final da pesquisa sobre câmaras secretas em tumba de faraó Tutancâmon
    Tumba de 4.400 anos é descoberta no Egito
    Solitária e sem flores: sepultura obscura no Uruguai gera hipóteses místicas (FOTO)
    'Mina de ouro': túmulo recém-descoberto no Egito revela segredos de mumificação
    Tags:
    tumba, bactérias, sepulturas, mortal, leite, egito, descoberta, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik