20:08 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Vírus

    Nova epidemia poderia matar 900 milhões de pessoas

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    4610

    Um novo vírus pode apanhar de surpresa os governos e causar a morte de 900 milhões de pessoas no nosso planeta, segundo um estudo citado pelo diário The Daily Mirror.

    Uma equipe de cientistas da Universidade Johns Hopkins de Baltimore, EUA, simulou a propagação de um novo agente patogênico que se dissemina através da tosse e os resultados não podem ser mais preocupantes: a perda de controle sobre a epidemia e uma mortalidade de até 10% da população mundial.

    O vírus, designado Clado X, matou 150 milhões de pessoas nos primeiros anos da simulação.

    "Não temos capacidade para produzir vacinas contra um novo agente patogênico em alguns meses (e não décadas) e faltam-nos capacidades sanitárias globais que nos permitam identificar e controlar rapidamente o surto antes de se tornar pandêmico", afirmou um dos especialistas, Eric Toner.

    A simulação levou em conta o fato de que a epidemia não seria mais perigosa do que uma enfermidade real como a síndrome respiratória aguda grave (SARS, na sigla em inglês).

    O SARS matou 10% das 8.000 pessoas que infectou em 2003, o que o próprio Toner descreveu como um resultado favorável para toda a humanidade.

    Mais:

    Vírus são usados como armas biológicas: mito ou realidade?
    Adolescente norte-americano é diagnosticado com vírus nunca antes detectado em pessoas
    Adolescente britânico é infectado com vírus do século XVIII (FOTOS)
    Tags:
    humanidade, infecção, simulação, morte, vírus, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik