13:13 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 05
    Nos siga no

    O programador apelidado fennikami declarou que o aplicativo da rede de restaurantes Burger King está espionando usuários, conforme escreveu no site Pikabu.

    Ele descobriu no código do programa linhas que comprovam gravação permanente de tudo o que se passa na tela do celular quando o aplicativo está funcionando. Posteriormente, o aplicativo envia todos os vídeos no formato mp4 aos servidores da companhia.

    O programador revela que a gravação não para nem mesmo quando o usuário está preenchendo os dados do cartão para pagar o pedido, acrescentando que os dados são acessíveis tanto aos criadores do aplicativo como aos parceiros da plataforma. Por exemplo, a companhia analítica AppSee, que recebe todos os dados, tem pleno acesso às informações pessoais dos clientes do Burger King.

    Um internauta do Pikabu acrescentou posteriormente que o Burger King registra os toques na tela e pode compará-los com o vídeo gravado.

    Representantes da rede de restaurantes fast-food não demoraram a reagir à revelação. O diretor digital do Burger King da Rússia, Sergei Ocheretin, declarou que todos os dados dos internautas estão em segurança por serem despersonalizados e codificados.

    "O aplicativo para celulares Burger King, ao receber pedidos à distância, não coleta dados pessoais de seus seguidores. Todas as transações são protegidas de forma confiável por um dos melhores adquirentes do país — Yandex.Kassa. Os dados sobre a conduta dos usuários no aplicativo não englobam informação sobre os cartões de crédito e não são guardados nos servidores", Sputnik cita as palavras de Ocheretin.

    Mais:

    Acredita que nova política de privacidade te protegerá da espionagem?
    ZooPark, novo vírus de celular que pode espionar toda a sua vida
    Este novo aplicativo consegue espiar com quem e quando está falando no WhatsApp
    Tags:
    Yandex, Burger King, espionagem, cartão de crédito, aplicativo, dados pessoais
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar