00:33 20 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Hell0 Darinzo by Nicholas Darinzo

    Tomar ácidos pode ajudar a diminuir depressão, diz estudo

    © By Nicholas Darinzo via Wikimedia Commons
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    352

    Se você já pensou que talvez toda a sua depressão ou ansiedade necessária para a cura fosse uma boa viagem com ácido, parabéns: há evidências empíricas para apoiar essa teoria.

    Um novo estudo descobriu que drogas psicodélicas como LSD, DMT e cogumelos psilocibinos ajudam a promover plasticidade estrutural e funcional no córtex pré-frontal. Basicamente, uma melhor plasticidade estrutural no córtex pré-frontal significa que a comunicação entre os nervos é mais eficiente e pode acontecer de maneiras mais complexas.

    Uma "preponderância" de evidências de imagens humanas, estudos pós-morte e estudos em animais sugere que a atrofia de neurônios no córtex pré-frontal "desempenha um papel fundamental" no aspecto fisiológico da depressão e condições similares, de acordo com 16 pesquisadores co-autores de um estudo publicado em 12 de junho na revista Cell Reports.

    O córtex pré-frontal é a região do cérebro responsável por tarefas como tomada de decisão, expressão da personalidade e moderação do comportamento em diferentes contextos sociais.

    A promoção de melhorias estruturais e funcionais no córtex pré-frontal afetadas por LSD, cogumelos mágicos e DMT é "acompanhada de aumento do número e da função das sinapses, medida por microscopia de fluorescência e eletrofisiologia", observa o estudo.

    Mais sinapses significam que os neurônios estão "conversando" mais uns com os outros, enquanto o aumento da função de sinapse significa que a "fala" acontece mais eficientemente quando os nervos liberam sinais entre si via neurotransmissores.

    Segundo os pesquisadores, as mudanças estruturais parecem ser impulsionadas pela "estimulação das vias de sinalização TrkB, mTOR e 5-HT2A e poderiam explicar a eficácia clínica desses compostos".

    Com efeito, a atrofia do córtex pré-frontal encontrada em pacientes com depressão e condições semelhantes pode começar a se reverter após uma experiência de tropeçar em ácido ou cogumelos.

    Não se acredita que essas mudanças no cérebro levem longos períodos de tempo, mas são descritas pelos pesquisadores como ocorrendo "rapidamente" após a dose da droga. Além disso, os psicodélicos "demonstraram efeitos antidepressivos e ansiolíticos de longa duração na clínica após uma única dose", disse o estudo.

    Junto com a droga cetamina, que foi usada como base para comparação de efeitos semelhantes, mas não foi incluída no estudo, ácido, cogumelos e DMT formam um grupo de compostos que melhoram de forma verificável a plasticidade estrutural no importante córtex pré-frontal. Os pesquisadores propõem classificá-las como psicoplastógenos, "das raízes gregas psych- (mente), —plast (moldada) e —gen (produção)". A cetamina, um sedativo amplamente utilizado nos anos 1990 e 2000 como droga de clube, demonstrou "potencial clínico notável" como um tratamento de ação rápida para depressão e ansiedade, mesmo em "populações resistentes ao tratamento", em pelo menos seis estudos desde 2000.

    "Nosso trabalho fortalece o crescente corpo de literatura que indica que os psicoplastógenos capazes de promover a plasticidade no CPF podem ter valor como antidepressivos de ação rápida e ansiolíticos com eficácia em populações resistentes ao tratamento", concluíram os pesquisadores.

    Embora carregando o estigma de ser uma droga de festa, o ecstasy ou MDMA foi apelidado de uma terapia "inovadora" pela Food and Drug Administration dos EUA para pessoas com transtorno de estresse pós-traumático. Em janeiro, pesquisadores em todo o mundo nos EUA e no Canadá iniciaram a terceira e última fase de testes clínicos que precederão o tratamento de prescrição e ecstasy que se tornará legal até 2021 nos EUA.

    Tags:
    ácido, LSD
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik