06:47 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Píton

    Cobra e píton são encontradas em aperto mortal (FOTO)

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 52

    Raramente uma única foto tirada por um fotógrafo anônimo torne-se assunto de interesse para os cientistas, mas é exatamente isso que aconteceu com a imagem de duas cobras entrelaçadas em um aperto mortal.

    Os répteis, uma cobra-real e uma píton-reticulada, foram descobertos "congelados no tempo", cada um tendo matado com sucesso seu rival, a custo de sua própria vida.

    A foto que se tornou viral na rede social, praticamente não tem uma história ou uma fonte original. Foi publicada no site de imagens Imgur com uma nota que o fotógrafo original é desconhecido. Contudo, a uma série de explicações óbvias, que surgem simplesmente pelo fato de saber como as duas espécies de cobras caçam.

    A principal arma da cobra-real é a picada venenosa. Esta espécie é conhecida por picar a sua vítima e, enquanto as substâncias tóxicas se espalham, o réptil engole a presa por completo. Na foto, a cobra-real é aquela cuja cauda se estende na direção do topo da imagem, e com a píton presa entre as mandíbulas.

    As pítons-reticuladas são consideradas as cobras mais compridas do mundo, mas ao contrário da cobra-real, não são venenosas. Contudo, elas usam os seus fortes corpos, musculosos para enrolar a sua vítima, assim limitando o fluxo de sangue aos órgãos vitais e causando a morte. Tal processo, é bem visível na fotografia.

    Não está claro onde ocorreu a batalha, mas Coleman Sheehy, do Museu de História Nacional da Flórida, disse à revista National Geographic que o combate poderia ter acontecido no Sudeste Asiático.

    Mais:

    No Sri Lanka píton de 4 metros é filmada engolindo veado inteiro (VÍDEO)
    Australiano acaba com misterioso 'conto da cobra que dava descarga' (VÍDEO)
    Cobra gigantesca impede tráfego no Vietnã (VÍDEO)
    Tags:
    réptil, píton, batalha, Cobra, morte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik