10:07 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Um asteroide (ilustração)

    NASA informa sobre asteroide de tamanho de arranha-céus voando em direção à Terra

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    426220

    Um "asteroide potencialmente perigoso" se dirige para a Terra a uma velocidade de mais de 122.000 quilómetros por hora, informou a NASA.

    O asteroide 2002 AJ129 se aproximará da Terra no próximo dia 4 de fevereiro. Apesar de que, no momento da máxima aproximação, o asteroide passará a mais de 4,2 milhões de quilômetros de nosso planeta, o corpo celeste é classificado pela NASA como um "asteroide potencialmente perigoso" (PHA, na sigla em inglês).

    A agência espacial norte-americana esclareceu, no entanto, que o 2002 AJ129 não representa uma ameaça real de colisão contra a Terra em um futuro previsível.

    "Nós estivemos acompanhando este asteroide por mais de 14 anos e conhecemos a sua órbita com muita precisão […] os nossos cálculos indicam que o asteroide 2002 AJ129 não tem qualquer possibilidade de colidir com a Terra, em 4 de fevereiro ou em qualquer momento durante os próximos 100 anos", afirmou Paul Chodas, especialista do centro de estudos de objetos próximos da Terra do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA.

    O 2002 AJ129 é um asteroide de tamanho médio. Alguns meios de comunicação referem que o corpo celeste supera em tamanho o edifício mais alto do mundo, o arranha-céu Burj Khalifa.

    O 2002 AJ129, cujo diâmetro é de 0,5-1,2 quilômetros, foi descoberto em 15 de janeiro de 2002, no quadro do antigo projeto de rastreamento de asteroides próximos da Terra, financiado pela NASA, do Observatório de Haleakala, no Havaí (EUA).

    Mais:

    Foi revelada a verdade por trás de Oumuamua, o asteroide considerado uma nave alienígena
    Asteroide gigante passa 'raspando' pela Terra neste sábado
    Cientistas russos alertam sobre grande asteroide se aproximando da Terra
    Tags:
    asteroide, NASA, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik