04:21 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Casal

    Amor à primeira vista: verdade ou travessura dos hormônios?

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 11

    Todas as conversas sobre amor à primeira vista não passam de mera bobagem, segundo um novo estudo realizado por especialistas da Universidade de Groningen, Holanda.

    Todos conhecem as cenas nos filmes quando duas pessoas estranhas se veem e de súbito ficam com aquela sensação que encontraram seu destino, um sentimento de que muitos logo qualificam como "amor".

    Porém, esta sensação de frio na barriga não é realmente amor, diz Florian Zsok, um dos autores do estudo sobre este fenômeno. Segundo o cientista, esta chama inesperada tem mais a ver com desejo do que com outras coisas, acrescentando ainda que este sentimento raramente é recíproco.

    O estudo, publicado no jornal da Associação Internacional de Pesquisa de Relacionamento (IARR, na sigla em inglês) teve três fases de coleta de dados — pesquisa on-line, no laboratório e depois dois encontros de 20 e 90 minutos, respectivamente.

    Durante a pesquisa on-line, os participantes deviam responder às perguntas sobre seus relacionamentos românticos atuais e depois pediram para ver algumas fotos de potenciais parceiros e avaliar sua atração. Para isso, as pessoas foram convidadas a usar a teoria triangular do amor, elaborada por Robert Sternberg, para identificar sentimentos de intimidade, paixão e compromisso.

    Durante a etapa em laboratório, outros participantes também observaram apenas fotos de seus potenciais parceiros. Após dois encontros curtos cara a cara, as pessoas responderam a questões sobre sua atração em relação ao encontro, sobre sua experiência de amor à primeira vista e outros sentimentos relacionados com o amor.

    No total, apenas 34 participantes de 396 (na maioria homens) descreveram 49 experiências de amor à primeira vista, tanto para seu parceiro potencial, como para a pessoa que encontraram durante o experimento de encontros rápidos. (Sim, as pessoas tiveram amor à primeira vista mais de uma vez).

    "Experiências de amor à primeira vista não foram marcadas nem pela grande paixão, nem pela intimidade nem pelo compromisso", afirmaram os especialistas.

    "Por isso, supomos que [o amor à primeira vista] não é uma forma distinta de amor, mas uma forte atração inicial que muitos classificam como [amor à primeira vista], tanto durante o primeiro encontro como posteriormente".

    Apesar do estudo ter descartado a existência deste tipo de sentimento, é duvidoso que isso coloque fim a histórias românticas sobre amor à primeira vista.

    Mais:

    Como peixe sobrevive sem fazer sexo?
    Vida sem sexo é mesmo possível?
    Tags:
    desejo, amor, pesquisa, experimento, Holanda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik