00:50 18 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    A Terra vista da Estação Espacial Internacional

    Cientista revela o fim mais provável da civilização humana

    © Foto : NASA/Reid Wiseman
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    8617

    O astrofísico sueco Max Tegmark do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), EUA, revelou em uma entrevista ao portal IEEE Spectrum o cenário negativo mais provável do futuro da civilização humana.

    No seu livro intitulado "Vida 3.0: o Homem na Era da Inteligência Artificial", Tegmark explicou como o atual desenvolvimento da inteligência artificial pode levar à criação de uma superinteligência artificial.

    Tegmark advertiu que, no pior cenário, a humanidade pode ser extinta e substituída por essa superinteligência artificial, que não terá consciência. "Se todas as maravilhas do cosmos continuarem sem uma mente consciente para apreciá-las, o universo se tornará um desperdício de espaço sem sentido", lamentou o cientista.

    O físico apelou a ter noção de que o futuro da humanidade está ligado à inteligência artificial. "O fato de que não sabemos o que vai correr mal não significa que não devamos pensar sobre isso", sublinhou Tegmark.

    O famoso cientista britânico Stephen Hawking, bem como o diretor-executivo da SpaceX, Elon Musk, chamaram repetidamente inteligência artificial de uma das ameaças mais importantes para a humanidade. 

    Mais:

    Novos mísseis de cruzeiro da China contam com 'alto nível de inteligência artificial'
    Google continua desenvolvendo inteligência artificial
    Nova inteligência artificial: variantes da Rússia e EUA
    Tags:
    civilização, humanidade, inteligência artificial, ameaça, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar