20:48 21 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Parque Nacional de Yellowstone, Wyoming, EUA

    NASA pretende prevenir uma catástrofe mais perigosa do que choque com asteroides

    CC BY 2.0 / Michael McCarthy
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    6709091

    Os cientistas da NASA estão elaborando estratégias para evitar a erupção de um supervulcão que poderia ter efeitos devastadores para o clima, escreve o The Independent.

    Os investigadores acreditam que uma perfuração na base de um dos supervulcões mais perigosos do mundo, localizado no Parque Nacional de Yellowstone, poderia ser a solução para o problema. Jatos de alta pressão bombeariam água para dentro para arrefecer o vulcão, liberando calor da câmara de magma e evitando que ela expluda.

    Não obstante, de acordo com Brian Wilcox, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, perfurar um supervulcão implica numerosos perigos potenciais.

    "Perfurar a parte superior da câmara de magma e arrefecer a partir daí seria muito arriscado", disse o especialista ao BBC.

    Essas ações tornariam a cobertura sobre a câmera de magma mais frágil e propensa a fraturas. Desta forma, a liberação de vários gases voláteis nocivos da parte superior da câmera pode ser ativada.

    Segundo Wilcox, "a ameaça do supervulcão é substancialmente maior do que a ameaça de asteroides ou cometas".

    Uma erupção de um supervulcão poderia ter tais consequências como a fome mundial e a libertação de grandes quantidades de dióxido de enxofre na atmosfera. De acordo com as estimativas da ONU, as reservas mundiais de alimentos, neste caso, durariam apenas 74 dias.

    O maior temor dos cientistas que estudam vulcões é a cinza espalhada pelo vento. De acordo com o pesquisador Larry Mastin, isso deve ser uma preocupação, em primeiro lugar, das pessoas que vivem na área de possíveis erupções.

    Grandes erupções ocorrem em média uma vez a cada 100.000 anos. A erupção supervulcânica mais recente teve lugar há mais de 27.000 anos em Taupo, na Nova Zelândia.

    De acordo com o Serviço Geológico dos EUA, não haverá erupções no território de Yellowstone durante séculos. No entanto, Wilcox disse que o supervulcão do Parque explode aproximadamente uma vez a cada 600.000 anos e, segundo o especialista, "já passaram cerca de 600.000 desde que explodiu pela última vez".

    O plano da NASA é perfurar cerca de dez quilômetros em Yellowstone e bombear água, que será retirada lentamente.

    Mais:

    Etna, maior vulcão da Europa, entra em erupção (VÍDEO)
    NASA mostra como o maior asteroide na história se aproximará da Terra (VÍDEO)
    Fogo e enxofre: As viagens perigosas dos indonésios a vulcão ativo
    Tags:
    clima, erupção, vulcão, parque, NASA, Yellowstone, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik