15:48 18 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Visão artística de coalisão do cometa Swift-Tuttle com a Terra

    Cometa poderia mudar trajetória e ameaçar a Humanidade

    © NASA. NASA/JPL-Caltech
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    12458211

    Segundo o astrônomo Ethan Siegel, existe a possibilidade de que a gravitação de Júpiter acelere o cometa Swift-Tuttle, fazendo-o se dirigir para a Terra e provocar uma explosão 30 vezes mais potente do que a que pôr fim aos dinossauros.

    O cometa Swift-Tuttle, que provocou a chuva de meteoritos das Perseidas, poderia mudar sua trajetória em 4479, depois de passar perto de Júpiter e voar em direção da Terra.

    "Se Júpiter provocar pelo menos um pequeno golpe gravitacional, o cometa poderia se dirigir em direção ao Sol e rumar diretamente ao nosso planeta. Se isso acontecer — e existe uma possibilidade real de que tal ocorra dentro de 2400 anos — será a maior extinção em massa que nosso mundo viverá em centenas de milhões de anos", avisa Siegel no seu artigo escrito para o jornal Forbes.

    A possibilidade de um fragmento de 36 km de diâmetro, composto por rochas e gelo, destruir nosso planeta é muito pequena. No entanto, se o cometa "acertar o alvo", os dias da humanidade estarão contados, pois o impacto será semelhante à explosão de 20 bombas de hidrogênio.

    De qualquer forma, os astrônomos estão seguros que o cometa Swift-Tuttle não representa ameaça — sua órbita poderá mudar nos próximos 2500 anos. Não obstante, os cientistas reconhecem que este é o corpo celeste mais perigoso para a Humanidade no Sistema Solar.

    Mais:

    Rumo ao desconhecido: nave espacial da NASA parte para misteriosa 'terceira zona'
    NASA capta novas imagens das nuvens de Marte em detalhes (FOTO)
    Cientistas do Brasil integram projeto inovador da NASA (VÍDEO)
    Menino de 9 anos se dirige à NASA afirmando que 'é extraterrestre' capaz de salvar Terra
    Tags:
    gravidade, golpe, dinossauro, explosão, humanidade, ameaça de morte, chuva, meteoros, cometa, Júpiter, Sol, Terra, Sistema Solar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik