18:21 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Hackers

    Vírus WannaCry não conseguiu afetar a infraestrutura russa

    © flickr.com/
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    271670

    A Rússia conseguiu evitar danos mais sérios às suas infraestruturas provocados pelo vírus conhecido como WannaCry, informou o vice-secretário do Conselho de Segurança russo, Oleg Khramov.

    Khramov disse que "para proteger a infraestrutura crítica, um decreto do presidente russo criou o sistema estatal para detectar, prevenir e eliminar as consequências de ataques cibernéticos contra os recursos de informação da Rússia".

    "Graças a este sistema danos mais graves foram evitados e as infraestruturas [de comunicação] estavam preparadas para evitar a propagação deste vírus", disse o especialista.

    Desde 12 de maio, um programa malicioso WanaCrypt0r 2,0 bloqueou mais de 200 mil computadores em 150 países. Os responsáveis pelo ciberataque exigiram um resgate em bitcoins para liberar dados roubados.

    Segundo o diretor da Europol, Rob Wainwright, poucas pessoas atenderam as demandas dos hackers.

    O programa WanaCrypt0r 2.0 foi identificado como uma variante do malware WannaCry, modificado pelo software EternalBlue da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA). O ataque teria sido iniciado pelo grupo de hackers conhecido como Shadow Brokers.

    Telegram

    Siga Sputnik Brasil no Telegram. Todas as notícias mundiais do momento em um só canal. Não perca!

    Mais:

    Kaspersky: México é o país mais afetado na América Latina pelo ciberataque global
    EUA: Ciberataque 'ransomware' foi provocado por 'criminosos ou governos estrangeiros'
    Qual é a escala do ciberataque que 'sequestrou' computadores pelo mundo?
    Mídia: ferramenta roubada da NSA foi usada em ciberataque global desta sexta-feira
    Grande ciberataque atinge Ministério do Interior da Rússia
    Tags:
    hackers, infraestrutura, ciberataque, WannaCry, Conselho de Segurança da Rússia, Shadow Brokers, Oleg Khramov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik