18:47 22 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    41814
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade do Estado do Arizona comunicam que a sonda Spirit da NASA talvez tenha encontrado possíveis sinais da vida em Marte.

    A cratera grande de Occator, no planeta anão Ceres, iluminada de cores irreais para mostrar as diferenças no perfil da superfície
    © NASA . NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA
    Durante a pesquisa do planalto de rochas estratificadas, chamada de 'Home Plate', a sonda descobriu características similares às nascentes termais no Gêiser de Tatio chileno.

    Os membros do grupo cientifico, Jack Farmer e Steven Ruff, da Escola de UEA da Terra e da Exploração do Espaço, escreveu no jornal Nature Communications:

    "Embora processos completamente abióticos não sejam descartados na estrutura siliciosa de Marte, eles satisfazem a definição a priori das potenciais bioassiaturas."

    Os Gêiseres de Tatio são perfeitos para servir de base de comparação devido a seus níveis elevados de radiação ultravioleta, nível baixo de precipitações, grande altitude, alto nível médio de evaporação anual e processo de congelação-degelo diurno.

    De acordo com Ruff e Farmer, "tais condições são um melhor análogo ambiental de Marte do que as do Parque Nacional de Yellowstone (nos EUA) e outros lugares conhecidos geotermais na Terra".

    "Nossos resultados demostram que o ambiente similar ao marciano dos Gêiseres de Tatio produz jazidas únicas, inclusive estruturas siliciosas biologicamente mediadas, com características comparáveis com os afloramentos siliciosos de Home Plate. Estas semelhanças aumentam a probabilidade de as estruturas siliciosas marcianas serem formadas de maneira parecida", acrescentou a equipe, citada pelo Space.com.

    Pela primeira vez, uma sonda do tamanho de um carrinho de golfe aterrou em Marte em 2004 e durante a sua missão encontrou regolito e amostras de sílica opalina na cratera Gusev.

    Os autores também destacaram, que "apesar de tudo, o significado potencial das características nodulares e milimétricas digitadas nas estruturas siliciosas de opalina não foram reconhecidas".

    Em maio de 2009, a sonda Spirit ficou presa no solo marciano, onde ela permaneceu já que, depois, a NASA a considerou como plataforma estacionária de pesquisa.

    Acreditava-se que a sonda especialmente equipada poderia fornecer provas definitivas sobre a existência de vida no planeta, porém, os autores destacaram que "devido aos desafios ao obtermos evidências claras no terreno, precisaremos de uma análise composicional de amostras entregues aos laboratórios na Terra para chegar a uma conclusão sólida quanto à presença ou ausência da vida no passado nestas rochas de Marte".

    Mais:

    NASA: Trump não vai desistir de pesquisas espaciais
    Quando faltarem 5 dias para o apocalipse, a NASA advertirá
    NASA capta imagens de objeto estranho voando próximo da Terra
    Tags:
    pesquisa científica, amostra, astronomia, solo, vida extraterrestre, sonda espacial, espaço, NASA, Marte, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar