12:30 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Espessas nuvens de gás escondem a superfície de Vênus, o segundo planeta mais perto do Sol, dos seus raios fortes.

    Cientistas descobrem recentes erupções em Vênus

    © Foto: Ron Miller
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    111

    Astrônomos europeus descobriram em Vênus, perto do monte Idunn, traços de erupções bastante recentes, o que significa que o subsolo do planeta ainda pode estar “vivo” no sentido geológico.

    A respectiva informação foi divulgada no âmbito da conferência planetológica EPSC-DPS, que está sendo realizada no estado americano de Pasadena.

    "Os novos métodos nos permitiram juntar as fotos infravermelhas da Venera Express [missão da ESA a Vênus] com as imagens de radar de mais alta qualidade da sonda americana Magellan, que estudou Vênus entre anos 1990 e 1992," disse o cientista alemão Piero D'Incecco.

    Esta comparação permitiu aos cientistas estudar mais detalhadamente a estrutura geológica do planeta, divulgou o cientista do Centro Aeroespacial da Alemanha (DLR).

    Não obstante as condições de formação de Vênus serem semelhantes às da Terra, atualmente este planeta difere totalmente do nosso — a sua atmosfera atinge 462 graus Célsius e está cheia de gás carbónico e ácido sulfúrico, além disso o Planeta Vermelho praticamente não tem água, a sua superfície está coberta por vulcões.

    Com base nas recentes observações, os astrônomos estão estudando os restos de lava, tentando compreender quando exatamente a erupção teve lugar e a possível frequência das erupções no planeta.

    Tags:
    pesquisadores, espaço, Vênus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik