15:52 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    NASA testa amerissagem da nave espacial Orion

    NASA testa amerissagem da nave espacial Orion

    © AP Photo/ NASA
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    175122

    O modelo da nave espacial Orion com dois manequins de astronautas a bordo será lançado em 25 de agosto, para testar o processo de amerissagem, informa a NASA.

    "A cápsula de teste, equipada com um escudo térmico, que já passou o primeiro voo de teste, vai cair em uma piscina com uma profundidade de 6 metros, balançando como um pêndulo" – divulga o comunicado da agência. Espera-se que o teste seja realizado na quinta-feira.

    Este teste permitirá aos especialistas da NASA "avaliar como a espaçonave pode se comportar durante amerissagem usando pára-quedas em diferentes condições de vento e altura das ondas".

    Dentro da Orion serão colocados dois manequins – um feminino, pesando 68 quilos, e um masculino, pesando cerca de 100 quilos, vestidos em trajes espaciais equipados com sensores. "Estes sensores fornecerão dados importantes que irão ajudar a NASA avaliar a influência sobre os membros da tripulação no momento de amerissagem no oceano (durante o retorno final da Orion do voo espacial)", — declara a NASA.

    De acordo com os planos da agência espacial, o primeiro voo não tripulado da nova nave espacial Orion terá lugar em 2018. Um foguetão-transportador SLS levará o navio para o espaço, após disso a Orion vai percorrer mais de 64 mil quilômetros além da órbita lunar e voltar para a Terra a uma velocidade de 7 quilómetros por segundo (25.200 quilómetros/hora).

    O primeiro voo de teste da nave espacial Orion foi realizado em Dezembro de 2014. Espera-se que sua primeira missão tripulada tenha lugar em 2021-2023.

    Mais:

    NASA experimenta novos motores para voos espaciais longínquos
    Destino é Marte, mas NASA tem 'muitas incertezas'
    Roscosmos pode fechar contrato para construir satélites para o Irã
    Tags:
    teste, nave espacial, NASA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik