14:18 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Instituto de Física Nuclear de São Petersburgo.

    Rússia prepara-se para fornecer combustível nuclear à Ucrânia

    © Sputnik / Igor Russak
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 162
    Nos siga no

    Em 2016, a Rússia pode iniciar o fornecimento de combustível nuclear modernizado TVSA-12 para um dos reatores nucleares da Ucrânia.

    Segundo o vice-presidente da corporação estatal russa Rosatom, Pyotr Lavrenyuk, as negociações sobre este assunto têm sido bem sucedidas:

    "Estamos conduzindo o processo com os nossos parceiros ucranianos no que toca ao novo combustível, está já na fase final".

    Esta declaração foi feita durante a exposição internacional Atomexpo 2015, que está tendo lugar em Moscou.

    O novo combustível russo recebeu a licença para ser usado na Ucrânia em 2014, emitida pela Inspeção Estatal de Regulação Nuclear da Ucrânia.

    Acordo de parceria com chancelaria

    Durante a Atomexpo, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia e a corporação estatal de energia nuclear Rosatom assinaram um acordo de cooperação.

    O chanceler russo, Sergei Lavrov, comentou a parceria:

    "Os projetos da Rosatom cimentam solidamente o fundamento da nossa cooperação com países estrangeiros para dezenas de anos", disse o ministro.

    Entre as iniciativas mais relevantes da corporação já apoiados pela chancelaria, Lavrov destacou o projeto internacional de reatores nucleares, o banco mundial de urânio empobrecido e o centro internacional de enriquecimento de urânio.

    O chanceler russo assegurou que tanto o Ministério das Relações Exteriores, como a Rosatom irão continuar cooperando com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), maior autoridade internacional do setor.

    Contratos

    Além da cooperação interna entre a chancelaria, a Rosatom selou uma série de contratos a nível internacional com diversos países.

    Por exemplo, o Gana, que a partir de hoje é parceiro da Rússia na área do uso pacífico da energia nuclear. Esse país africano ainda não possui nenhuma usina atômica, mas já tem centros de pesquisa nuclear, que contribuem para o desenvolvimento do setor.

    Outro país é a Indonésia, que assinou com a Rosatom um memorando de cooperação. Mais cedo, em abril do ano em curso, um consórcio russo-indonésio venceu a licitação para a construção de um reator de altas temperaturas, com uma potência de 10 megawatts nesse país.

    Mais:

    Engenheiro da Marinha britânica denuncia falhas de segurança em flotilha nuclear
    Robô entra pela primeira vez no reator 1 da Central Nuclear de Fukushima
    Obama: condicionar o acordo nuclear com Irã ao reconhecimento de Israel seria um erro
    Segundo Irã, acordo nuclear é o primeiro passo para interação construtiva com o mundo
    Tags:
    energia nuclear, exposição, Ministério das Relações Exteriores, Rosatom, Sergei Lavrov, Indonésia, Moscou, Gana, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar