05:53 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    379
    Nos siga no

    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, comemorou nesta terça-feira (15) a eleição do país para uma posição rotativa do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

    Para Bolsonaro, a escolha é "uma prova irrefutável do bom relacionamento" do país com o resto do mundo, informa O Globo.

    A votação da Assembleia Geral da ONU para a escolha dos membros não permanentes do Conselho de Segurança para o biênio de 2022-2023 foi realizada na última sexta-feira (11).

    O Brasil foi o único candidato do grupo que engloba a América Latina e o Caribe. Desde 2006 que os países dessa região têm a tradição de não competir para a candidatura, planejando antecipadamente entre si. 

    A última participação brasileira no Conselho teve lugar entre 2010 e 2011, e sua intenção inicial era apresentar uma outra candidatura apenas para o biênio de 2033-2034, conta a mídia.

    O Brasil é o primeiro país da América Latina e o 12º no mundo a participar do Conselho.

    "Demonstra que o Brasil é um país que realmente tem uma admiração, tem reconhecimento, pelo mundo todo. Assim como nós temos por praticamente todos os países do mundo. Nós desejamos a mesma coisa, a paz, o progresso, o desenvolvimento. E podem contar com o povo brasileiro, podem contar com o governo federal, com nossas instituições", segundo o presidente.

    O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, enviou um vídeo parabenizando o Brasil por entrar no acordo, dizendo que as duas nações têm uma "longa história de cooperação em descobertas científicas".

    Mais:

    Bolsonaro diz que Doria tem 'sede de poder'; governador responde que falta ao governo 'trabalhar'
    Enviado da Rússia à ONU: veredicto de Ratko Mladic é continuação de conduta politizada da Iugoslávia
    Bolsonaro sobre passaporte de vacinação: 'Se for aprovado, eu veto'
    Tags:
    Jair Bolsonaro, América Latina, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar