10:13 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3315
    Nos siga no

    Parlamentar formada pelo "Movimento Acredito", do empresário Jorge Paulo Lemann, Tabata Amaral foi muito criticada nos últimos anos por ter "mudado de lado", deixando de apoiar causas trabalhistas e votando junto com a base governista.

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a deputada federal Tabata Amaral (PDT) a se desfiliar da legenda trabalhista. Por seis votos a um, os ministros garantiram que a parlamentar poderá sair do partido sem que necessite perder o mandato.

    A corte considerou válido o argumento da deputada de que houve "justa causa", após a ela ter votado a favor da reforma da previdência e contrário ao partido, em 2019, junto a outros sete parlamentares.

    Na época, o presidente do partido, Carlos Lupi, chegou a atacar diretamente a deputada e o "Movimento Acredito", grupo que alavancou a campanha da deputada, escreve o Congresso em Foco.

    Com os ataques, que contaram com seguidas ameaças de expulsão e mesmo a suspensão de direitos na Câmara, Tabata se sentiu desgostosa do partido e passou a questionar seu direito a sair na Justiça. "O PDT deixou de ser o meu partido", disse a deputada há uns meses.

    No julgamento, realizado nesta terça-feira (25), o relator Sérgio Silveira Banhos concordou com o pedido de desfiliação e foi seguido pela maioria. Apenas o ministro Edson Fachin votou contra a possibilidade de desligamento.

    Em suas redes sociais, a deputada comemorou a decisão.​ "Essa decisão do TSE me enche de esperança pois, para mim, é uma demonstração que o caminho da boa política compensa, e que não vamos mais tolerar que a política seja pautada por interesses pessoais, embates de ódio e machismo", escreveu.

    Mais:

    Brasil precisa fazer reformas para aproveitar liquidez mundial, opina economista
    'Brasil precisa de reformas estruturais para aumentar investimentos estrangeiros', diz economista
    Ao invés de ajudar, nova composição da Câmara pode atrapalhar reformas no Brasil, diz especialista
    Tags:
    TSE, Partido Trabalhista, Trabalhistas, trabalhistas, PDT
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar