05:46 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrentando COVID-19 no início de maio de 2021 (52)
    3100
    Nos siga no

    O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, declarou nesta quinta-feira (6) que a redução da previsão de insumos chineses para produção de vacinas é consequência da "falta de alinhamento" do governo federal.

    De acordo com Dimas, a previsão de receber 6 mil litros do insumo no dia 10 de maio diminuiu para 2 mil litros a serem entregues no dia 13. A declaração do diretor do Butantan foi durante a entrega de um milhão de doses da vacina CoronaVac na manhã desta quinta-feira (6).

    "O insumo da principal vacina que vai no braço dos brasileiros vem da China", afirmou o diretor do Instituto Butantan ao lado do governador de São Paulo, João Doria.

    Dimas Covas declarou que um dos motivos para o atraso a e diminuição do recebimento dos insumos foi o mal-estar causado "por sucessivas declarações desastrosas do ministro da Economia, Paulo Guedes, e agora do presidente da República, Jair Bolsonaro".

    Na última quarta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o novo coronavírus poderia ter nascido "em laboratório", insinuando uma referência à China.

    Em Brasília, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, participa de evento do BRICS, em 14 de novembro de 2019
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    Em Brasília, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, participa de evento do BRICS, em 14 de novembro de 2019

    "É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu o seu PIB? Não vou dizer para vocês", disse o presidente.

    O país asiático é responsável por fornecer insumos para a produção da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, e da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz.

    Tema:
    Brasil enfrentando COVID-19 no início de maio de 2021 (52)

    Mais:

    Senado no Brasil aprova quebra de patentes de vacinas contra a COVID-19
    Brasil tem 2.791 mortes por COVID-19 em 24h e chega a quase 415 mil óbitos
    COVID-19: Brasil tem 7 capitais sem vacinas para a 2ª dose
    Brasil registra 1.054 mortes por COVID-19 em 24 horas e total de óbitos sobe para 408.829
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Instituto Butantan, China, vacina, vacinação, Vacina CoronaVac, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar