13:51 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrentando COVID-19 no início de maio de 2021 (52)
    121214
    Nos siga no

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (4) que a prioridade do ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) deveria ser o desenvolvimento de uma vacina brasileira contra a COVID-19 ao invés "do lançamento de foguetes".

    A declaração de Guedes ocorre após o governo federal vetar R$ 200 milhões para o desenvolvimento de uma vacina nacional contra o novo coronavírus. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

    "Eu até falei: 'faz menos foguete e faz mais vacina'. Está soltando foguete e, ao mesmo tempo, não está dando vacina. Se tem prioridade, a prioridade é vacina, não é o foguete", afirmou Guedes, relatando uma conversa com Pontes.

    O ministro da Economia participou de uma audiência pública na Câmara com deputados membros de quatro comissões: trabalho, finanças e tributação, educação e seguridade social.

    Em Brasília, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, participa de cerimônia de divulgação das empresas selecionadas para operação do Centro Espacial de Alcântara, em 28 de abril de 2021
    © Folhapress / Agif / Mateus Bonomi
    Em Brasília, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, participa de cerimônia de divulgação das empresas selecionadas para operação do Centro Espacial de Alcântara, em 28 de abril de 2021

    Segundo Guedes, o Ministério da Ciência e Tecnologia teve um orçamento maior este ano e que, por isso, Marcos Pontes poderia encontrar uma solução interna para não interromper a pesquisa de desenvolvimento de uma vacina brasileira.

    Em março deste ano, após o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo, anunciar o desenvolvimento da ButanVac, vacina nacional contra a COVID-19, Pontes declarou que já tinha pedido o aval à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o início dos testes clínicos com um imunizante financiado pelo governo federal, que recebeu o nome de Versamune®️-CoV-2FC.

    Durante a discussão do Orçamento de 2021, os parlamentares destinaram mais cerca de R$ 200 milhões ao projeto. Mas, ao sancionar a programação de despesas do ano, o presidente Jair Bolsonaro vetou os gastos, o que derrubou o montante destinado ao desenvolvimento do imunizante do governo federal.

    Tema:
    Brasil enfrentando COVID-19 no início de maio de 2021 (52)

    Mais:

    CPI da Covid: Mandetta revela bastidores sobre cloroquina e explica divergências com Bolsonaro
    Ministério da Economia deveria 'abrir as pernas' para contratação de temporários, defende Mourão
    Como será a Nova Lei de Segurança Nacional? Deputados relatam suas expectativas à Sputnik Brasil
    Representantes do setor agrícola destacam acerto do governo ao focar em investimentos no Nordeste
    Tags:
    Ministério da Economia do Brasil, Paulo Guedes, Marcos Pontes, COVID-19, novo coronavírus, foguete, foguete brasileiro, verba, orçamento, orçamento público
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar