12:04 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    12692
    Nos siga no

    Nesta segunda-feira (22), o nanossatélite brasileiro NanoSatC-Br2 partiu para o espaço a bordo do foguete russo Soyuz-2.1a.

    O lançamento se deu às 09h07 (03h07, no horário de Brasília) a partir do cosmódromo de Baikonur.

    O nanossatélite brasileiro subiu ao espaço com outros 37 satélites. Ao total, 18 países aproveitaram a viagem do foguete Soyuz para colocar seus satélites em órbita.

    Entre os países que utilizaram o serviço do Soyuz figuram a Coreia do Sul, Rússia, Japão, Arábia Saudita, Tunísia, Israel, Emirados Árabes Unidos, Canadá, Países Baixos, Eslováquia e outros.

    O lançamento havia sido inicialmente programado para o último sábado (20).

    Contudo, problemas técnicos no sistema de alimentação elétrica nos aparelhos de partida exigiram uma nova verificação dos sistemas do foguete.

    De acordo com o diretor-geral da Agência Espacial Russa Roscosmos, Dmitry Rogozin, "os 33 satélites se separaram" do foguete portador.

    Nanossatélite brasileiro

    O NanoSatC-Br2 tem apenas 22 centímetros de comprimento, dez centímetros de largura, dez centímetros de profundidade e seu peso é de 1,72 kg.

    Segundo publicou a Agência Brasil, o aparelho espacial é menor que uma caixa de sapato.

    Sua função será observar fenômenos magnéticos no Atlântico Sul, em especial a anomalia magnética resultante do desalinhamento do centro magnético da Terra em relação a seu centro geográfico.

    O nanossatélite é resultado dos esforços da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), da Agência Espacial Brasileira (AEB) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

    Todo o projeto, desde o desenvolvimento, lançamento, até sua operação, teve um custo estimado em R$ 1 milhão, segundo a AEB.

    Mais:

    Turquia avança seu programa espacial e testa foguete para levar microssatélites ao espaço (VÍDEO)
    Primeiro satélite desenvolvido no Brasil se encaminha para o espaço
    Agência Espacial Brasileira quer ingressar no Artemis, programa que mira 1ª mulher na Lua
    Tags:
    satélite, programa espacial, Brasil, nanossatélite
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar