04:25 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 86
    Nos siga no

    O novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), selou acordo para compor a Mesa Diretora da Casa com a oposição, que tinha ameaçado travar as votações. 

    Com isso, a eleição para compor a Mesa será realizada nesta quarta-feira (3), às 10h. Originalmente, a votação aconteceria na segunda-feira (1º), mas acabou sendo adiada para terça-feira (2). 

    Após ser eleito novo presidente da Câmara com apoio do presidente Jair Bolsonaro, Lira disse que retiraria os partidos que fizeram oposição a ele da composição da Mesa, que tinha sido definida nos momentos finais do mandato de Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

    No entanto, após negociações, foi costurado um acordo para garantir à oposição dois cargos na Mesa, além de duas das quatro suplências. A Mesa Diretora, além da presidência da Câmara, conta com duas vice-presidências e quatro secretarias. 

    Lira foi eleito na segunda-feira (1º) com 302 votos, enquanto o candidato de Maia, Baleia Rossi (MDB-SP), que contou com o apoio de nove partidos, teve 145. 

    PT e PSB têm cargos

    A primeira vice-presidência deve ficar com Marcelo Ramos (PL-AM); a segunda-vice presidência com André de Paula (PSD-PE); a primeira secretaria com Luciano Bivar (PSL-PE); a segunda secretaria com Marília Arraes (PT-PE); a terceira secretaria ficará com o deputado Marcelo Nilo (PSB-BA); e a quarta secretaria com Rosângela Gomes (Republicanos-RJ). Na composição anterior, os partidos que apoiaram Baleia ficariam com quatro vagas titulares. 

    Um impasse na eleição para a Mesa Diretora pode gerar um início de mandato turbulento sob a gestão de Lira. Segundo a oposição, houve um recuo do novo presidente da Câmara. 

    "Arthur Lira procurou o bloco para conversar. A atitude ontem havia sido muito violenta, e isso embaçou sua vitória. Quer recompor. A maioria dos partidos do bloco avalia que devemos fazer essa recomposição. Nesse contexto, o PT sairia da primeira secretaria para a segunda secretaria. Estamos conversando aqui. Se for para manter a unidade dos partidos de oposição, devemos aceitar, sem deixar de cobrar e de continuar denunciando o ato violento e autoritário. O desgaste do Lira e a pressão do bloco fizeram com que ele recuasse", disse a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT, segundo o jornal O Globo. 

    Mais:

    Sucessão na Câmara: após manifesto contra Lira, Zambelli declara apoio ao candidato de Bolsonaro
    'Se Deus quiser' Lira será eleito presidente da Câmara, diz Bolsonaro
    Além de fã de Trump, não se sabe o que Bolsonaro pensa de política externa, diz especialista
    Tags:
    oposição, Gleisi Hoffmann, Câmara dos Deputados, Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia, PT, Baleia Rossi, Arthur Lira
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar