15:06 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    742
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta quarta-feira (30) a legalização do aborto na Argentina, afirmando que as "vidas das crianças" poderão, de agora em diante, ser "ceifadas" com "a anuência do Estado".

    O presidente fez a declaração em sua conta do Twitter.

    ​Mais cedo nesta quarta, o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, também se manifestou contra a legalização do aborto.

    ​Na madrugada desta quarta-feira (30), após uma sessão que durou 12 horas, o Senado da Argentina aprovou o direito de a mulher optar pelo aborto até a 14ª semana de gestação. A decisão teve 38 votos a favor e 29 contra, além de 1 abstenção.

    Com a decisão, a Argentina se junta a Cuba, Guiana, Guiana Francesa, Uruguai, Porto Rico e duas cidades mexicanas a legalizar a interrupção da gravidez na América Latina.

    Mais:

    'Não dou bola para isso', diz Bolsonaro sobre Brasil ainda não ter vacinação contra COVID-19
    Laboratórios é que têm que buscar registro na Anvisa, diz Bolsonaro
    'Bolsonaro não tem dimensão humana', diz Maia após comentário sobre tortura de Dilma
    Bolsonaro é eleito a 'pessoa do ano no crime organizado e corrupção' por jornalistas internacionais
    Analista: governo Bolsonaro se opõe a estado de calamidade por não ter compromisso com a vida
    Tags:
    Ernesto Araújo, Senado da Argentina, argentinos, Argentina, descriminalização do aborto, aborto legal, aborto, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar