17:48 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)
    101
    Nos siga no

    O governo federal registrou um rombo de R$ 18,21 bilhões nas contas públicas em novembro, segundo um comunicado da secretaria do Tesouro Nacional divulgado nesta terça-feira (29). No ano, o déficit chega a R$ 699,15 bilhões.

    O resultado divulgado hoje (29) contabiliza a diferença entre as receitas e despesas do governo. Porém, os dados não consideraram o pagamento dos juros da dívida pública. As informações foram confirmadas pelo portal R7.

    A atual projeção de déficit primário do Banco Central para 2020 é de R$ 831,8 bilhões, o que corresponde a 11,5% do PIB (Produto Interno Bruto). As despesas, mais uma vez, superarão as receitas, o que acontece desde 2014.

    O resultado de novembro foi melhor do que o esperado pelo mercado, que projetava déficit superior a R$ 22 bilhões. Ainda assim, o saldo negativo de R$ 18,24 bilhões representa uma alta de 5,5% em comparação com novembro de 2019, quando o Brasil registrou déficit de R$ 16,57 bilhões.

    De janeiro a novembro, o rombo cresceu 752,3% em relação ao mesmo período do ano passado: passou de R$ 80,43 bilhões para R$ 699,11 bilhões. A forte alta está associada aos maiores gastos do governo federal para enfrentar os impactos da pandemia do coronavírus.

    Vale lembrar que, em março, o Congresso aprovou o estado de calamidade pública, que permite que o governo aumente as despesas sem descumprir as legislações fiscais. Ainda de acordo com o comunicado, a Previdência Social registrou déficit de R$ 270,7 bilhões de janeiro a novembro. No mesmo período, o Banco Central e o Tesouro Nacional tiveram rombo de R$ 447,1 bilhões. A soma chega a R$ 717,8 bilhões.

    Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes
    Tema:
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)

    Mais:

    Taxa de desemprego cai pela 1ª vez no ano no Brasil e fica em 14,3%
    Bispos apontam priorização do mercado financeiro na PEC do 'Orçamento de Guerra'
    Brasil aprova orçamento para pagar ONU, e por pouco não passa 'vexame histórico', diz especialista
    Tags:
    déficit comercial, déficit público, déficit, contas públicas, Paulo Guedes, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar