12:27 20 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)
    2836
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (26) que não se sente pressionado e "não dá bola" para o fato de outros países já terem começado a imunizar suas populações enquanto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não aprovou nenhuma vacina.

    O Brasil registra mais de 190,5 mil pessoas mortas pela COVID-19 e vários estados do país veem um aumento nos casos.

    "Ninguém me pressiona para nada, eu não dou bola para isso. É razão, razoabilidade, é responsabilidade com o povo, você não pode aplicar qualquer coisa no povo", disse o presidente.

    Bolsonaro passeou por Brasília durante a manhã e repetiu que tudo o que viu "até agora em vacinas que poderão ser disponíveis tem uma cláusula que eles não se responsabilizam por qualquer efeito colateral". As informações foram publicadas pelo jornal O Globo.

    Ao ser perguntado se estava se referindo à vacina da Pfizer/BioNTech, Bolsonaro respondeu falar sobre "todas elas".

    "Pelo que eu vi até agora, todas elas", afirmou.

    Nenhuma fabricante de vacinas solicitou o pedido de registro emergencial ou definitivo à Anvisa.

    A Costa Rica, o México e o Chile começaram a imunização contra o novo coronavírus nesta quinta-feira (24), véspera de Natal, tornando-se os primeiros países da América Latina a iniciar a campanha de vacinação.

    Tema:
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)

    Mais:

    COVID-19: por que Brasil ainda não iniciou vacinação?
    CoronaVac não atingiu 90% de eficácia em testes no Brasil, diz secretário da Saúde de São Paulo
    Subnotificação: Brasil pode já ter mais de 220 mil mortes por COVID-19, diz jornal
    Navegação aérea: Bolsonaro cria sua 1ª estatal, a NAV Brasil
    COVID-19: Brasil tem 483 mortes em 24h e soma mais de 190,5 mil óbitos na pandemia
    Tags:
    COVID-19, Brasil, Jair Bolsonaro, vacina, vacinação, imunização, imunizante, Anvisa, novo coronavírus, pandemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar