00:46 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    281
    Nos siga no

    O Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL) recorreu da decisão judicial que absolveu o deputado Arthur Lira (PP-AL) da acusação de "rachadinha", esquema em que parte dos rendimentos dos servidores é apropriado pelo político.

    Lira é o candidato do governo Bolsonaro para disputar a eleição para presidência da Câmara dos Deputados. Ele deve disputar o comando da Casa contra o candidato apoiado pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O bloco ainda não definiu um nome para apoiar.

    A apelação do MP-AL foi feita na quinta-feira (17), mas a informação foi divulgada somente neste sábado (19).

    A medida foi proposta pelos promotores de Justiça criminais Neide Maria Camelo da Silva, Marluce Falcão de Oliveira, Elicio Ângelo de Amorim Murta e Anderson Cláudio de Almeida Barbosa, o promotor da Fazenda Pública Estadual Jamyl Gonçalves Barbosa e o coordenador do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público do MP-AL, José Carlos Silva Castro. As informações foram publicadas pelo portal G1.

    Lira estava sendo investigado por desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa de Alagoas entre 2001 e 2007 e foi absolvido em 1º grau.

    "Irresignados com a sentença de absolvição sumária [...] vimos à presença de vossa excelência interpor recurso de apelação, tempestivamente, requerendo o prazo legal para apresentação das razões recursais, conforme preconiza o art. 600, do CPP, com posterior remessa dos presentes autos ao egrégio Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas, instruído com as respectivas razões, para processamento e julgamento", diz um dos trechos do MP-AL.

    Mais:

    Após STF barrar novo mandato na Câmara, Maia diz que nunca quis se reeleger
    Arthur Lira lança candidatura à presidência da Câmara de Deputados
    Quem será o futuro presidente da Câmara? Especialista analisa eleição e traça cenário para Bolsonaro
    PT e outros partidos decidem apoiar candidato de Maia à presidência da Câmara
    Tags:
    absolvição, Câmara dos Deputados, Alagoas, Ministério Público, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar