22:56 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    141
    Nos siga no

    Neste domingo (22), o Amapá completa 20 dias sob apagão após dois blecautes que atingiram 13 dos 16 municípios do estado. Acionamento de geradores termoelétricos não resolveu o problema.

    No sábado (21), foram acionados geradores termoelétricos no estado com capacidade de geração de até 45 megawatts. A expectativa é de que o fornecimento de energia elétrica seja normalizado a partir do dia 26 deste mês. Os geradores foram ligados durante visita do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que na oportunidade esteve pela primeira vez no estado desde o início da crise energética.

    Amapá sofre apagão após incêndio em subestação; Macapá decreta calamidade pública e população sofre com crise de desabastecimento no Amapá, gerando filas em postos e falta de água
    © Folhapress / Maksuel Martins /Fotoarena
    Amapá sofre apagão após incêndio em subestação; Macapá decreta calamidade pública e população sofre com crise de desabastecimento no Amapá, gerando filas em postos e falta de água

    Conforme publicou o portal G1, a madrugada deste domingo (22) foi de calor capital do estado e o rodízio estabelecido de fornecimento de energia a cada três horas não cumpriu o cronograma.

    Foram 47 geradores instalados na cidade de Santana, vizinha a Macapá. Ainda segundo a publicação, o Ministério de Minas e Energia afirma que apenas 20 megawatts foram acionados no sábado (21), sendo que o restante da capacidade dos geradores seria acionada ainda hoje. Apesar disso, não há garantias de que será o suficiente para atender a demanda da região.

    Jair Bolsonaro visita a Subestação de Santana no estado do Amapá
    © Folhapress / Erich Macias Rodrigues/Futura Press
    Jair Bolsonaro visita a Subestação de Santana no estado do Amapá

    O retorno da energia elétrica em todo o estado é esperado para ocorrer apenas na quinta-feira (26), após a instalação de um transformador novo na principal subestação do estado.

    A falta de energia elétrica tem gerado protestos nas ruas do estado e causado prejuízos financeiros aos moradores, que sofrem com problemas de abastecimento, privação de sono e de serviços básicos como o fornecimento de água. Ainda segundo o G1, a polícia local aponta que houve ao menos 120 protestos no estado desde o início da crise, no dia 3 de novembro.

    Mais:

    Amapá inicia rodízio de fornecimento de energia com duração de seis horas
    Governo federal sabia do risco de apagão no Amapá há dois anos, apontam documentos
    Amapá tem novo apagão total na capital e em mais 12 cidades
    Justiça afasta diretores do ONS e da Aneel após apagão no Amapá
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Ministério de Minas e Energia, Brasil, Amapá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar