18:41 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil na luta contra COVID-19 no início de novembro (27)
    62716
    Nos siga no

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu temporariamente nesta segunda-feira (9) o ensaio clínico da CoronaVac, possível imunizante contra COVID-19 testado pelo Instituto Butantan, de São Paulo, em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

    Em nota, a agência diz que a interrupção foi feita após ter sido notificada sobre a ocorrência de um "Evento Adverso Grave".

    "Após ocorrência de Evento Adverso Grave a Anvisa determinou a interrupção do estudo clínico da vacina Coronavac.  O evento ocorrido no dia 29/10 foi comunicado à Anvisa, que decidiu interromper o estudo para avaliar os dados observados até o momento e julgar sobre o risco/benefício da continuidade do estudo", escreveu a Anvisa.

    A partir desse momento, nenhum novo voluntário brasileiro poderá ser vacinado.

    "Os dados sobre voluntários de pesquisas clínicas devem ser mantidos em sigilo, em conformidade com princípios de confidencialidade, dignidade humana e proteção dos participantes", disse a agência.

    Segundo a Anvisa, são considerados Eventos Adversos Graves:

    • óbito; 
    • evento adverso potencialmente fatal (aquele que, na opinião do notificante, coloca o indivíduo sob risco imediato de morte devido ao evento adverso ocorrido);
    • incapacidade/invalidez persistente ou significativa;
    • exige internação hospitalar do paciente ou prolonga internação;
    • anomalia congênita ou defeito de nascimento;
    • qualquer suspeita de transmissão de agente infeccioso por meio de um dispositivo médico;
    • evento clinicamente significante.

    A CoronaVac estava na terceira e última fase de testes. Com a interrupção, ela se torna agora a terceira vacina contra COVID-19 que teve seus ensaios clínicos suspensos por efeitos adversos graves.

    O imunizante contra o novo coronavírus desenvolvido pela Universidade de Oxford teve seus testes interrompidos após uma voluntária apresentar sintomas de uma doença neurológica. Já a vacina da Johnson & Johnson também interrompeu os testes depois de uma "doença inexplicada" ter acometido um dos participantes.

    Tema:
    Brasil na luta contra COVID-19 no início de novembro (27)

    Mais:

    Portugal introduzirá toque de recolher por COVID-19 a partir de 2ª feira
    #SputnikV: campanha global da vacina russa contra COVID-19 entra em ação nas redes sociais
    Pfizer e BioNTech asseguram que sua vacina é mais de 90% eficaz contra COVID-19
    Anticorpos contra coronavírus foram descobertos em pessoas sem COVID-19
    EUA ultrapassam marca de 10 milhões de casos de COVID-19
    Tags:
    imunizante, testes, teste, Vacina CoronaVac, novo coronavírus, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar