07:12 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1101
    Nos siga no

    A força-tarefa da Lava Jato no Paraná emitiu nesta quinta-feira (8) uma nota pública para rebater as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre ter "acabado" com a operação.

    Os procuradores do MPF (Ministério Público Federal) afirmaram que o discurso do presidente "indica desconhecimento sobre a atualidade dos trabalhos e a necessidade de sua continuidade e, sobretudo, reforça a percepção sobre a ausência de efetivo comprometimento com o fortalecimento dos mecanismos de combate à corrupção".

    No comunicado, a força-tarefa ainda acrescentou: "A Lava Jato é uma ação conjunta de várias instituições de Estado no combate a uma corrupção endêmica e, conforme demonstram as últimas fases dos trabalhos, ainda se faz essencialmente necessária".

    Na tarde de ontem, quarta-feira (7), em uma coletiva de imprensa, Bolsonaro anunciou o fim da operação Lava Jato porque, segundo ele, "não existe mais corrupção no governo".

    ​​O pronunciamento foi feito no mesmo dia em que foi deflagrada a 76ª fase da operação, na qual houve a apreensão do equivalente a quase R$ 4 milhões de reais em espécie em endereços de investigados pela prática de crimes contra a Petrobras.

    Procuradoria Geral da República

    A prerrogativa de encerrar a Lava Jato pertence apenas a Procuradoria-Geral da República (PGR). Para o procurador da Lava Jato Roberson Pozzobon, "é impossível" encerrar até janeiro as mais de 400 investigações em curso na operação.

    Mais:

    Sob fogo cruzado: qual o futuro da Lava Jato em uma arena cercada de inimigos?
    Lava Jato do Paraná denuncia Lula novamente no MPF
    Bolsonaro: 'Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo'
    Adeus, Lava Jato: fim da maior operação anticorrupção do Brasil deixa Bolsonaro em maus lençóis
    Tags:
    procuradores, fim, corrupção, Bolsonaro, Lava Jato
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar